Nacional
Atualizado em: 07/09/2011 - 8:00 am

A recente absolvição da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) por colegas na Câmara, deu novo impulso às marchas e aos manifestos contra a corrupção

Mais de 300 manifestações marcadas pela internet estão previstas para este 7 de setembro em todo o país. Descontentamento com absolvição de Jaqueline Roriz incentiva marcha em Brasília. O apanhado é do Congresso em Foco. Acompanhe!

Fraudes, desvios de verbas públicas, uso de laranjas para destinar dinheiro de emendas parlamentares. O brasileiro já está acostumado a ver diariamente escândalos nos jornais e a reclamar deles também. As redes sociais se tornaram o principal fórum de debate e discussão informal, em que cidadãos indignados despejam suas críticas e trocam informações. Apesar da agitação que certos temas geram nas redes, a mobilização nas ruas ainda não reflete o entusiasmo demonstrado no mundo virtual.

Roriz
No entanto, a recente absolvição da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) por colegas na Câmara, deu novo impulso às marchas e aos manifestos contra a corrupção marcados para hoje (7), dia em que se comemora a Independência do Brasil. Flagrada em vídeo recebendo dinheiro do delator do escândalo que ficou conhecido como Caixa de Pandora, no ano passado, a parlamentar se livrou da cassação com o aval de 265 deputados, que votaram por sua permanência na Casa. Porém, como o voto foi secreto, não é possível saber quem a defendeu no plenário.

300 eventos
Até o final da tarde de ontem (6), mais de 300 eventos haviam sido convocados em todo o país com o mesmo objetivo: protestar contra a corrupção. Alguns deles contavam com milhares de confirmações. Não há uma pauta definida em comum, mas todos pedem o fim do voto secreto e criticam a absolvição de Jaqueline Roriz. Uma parte apoia a “faxina” que a presidenta Dilma Rousseff começou a fazer nos ministérios e defende a criação da CPI da Corrupção, preterida até o momento pelo governo.

A maioria das manifestações é chamada pelo Facebook. Mas também é possível acompanhar a preparação pelo Orkut e pelo Twitter. Na rede de microblogs, os chamados são feitos por meio de expressões como #todoscontraacorrupcao, #lutopeloBrasil e #setembronegro.

“Estamos cansados de ver tantos casos e nada acontecer. Se todo mundo se encontra para tomar uma cerveja ou ver os amigos, por que não nos encontrarmos para reivindicar nossos direitos?”, questiona Lucianna Kalil, uma das organizadoras da “Marcha contra a corrupção”, evento divulgado pelo Facebook que já conta com mais de 24 mil confirmações de presença, até o fim da tarde de terça-feira (6).

Marcha contra a corrupção
A ideia de organizar a marcha surgiu da insatisfação com a proliferação de denúncias contra políticos dos mais diversos partidos. “Antes do acontecimento da Jaqueline Roriz, nós não tínhamos muitas adesões. A gente estava com cerca de 5 mil apoiadores, mas depois da absolvição dela é que deu uma disparada geral mesmo. Ninguém gostou da decisão da Câmara”, conta Lucianna.

Apesar do grande número de adeptos na rede social, Lucianna espera que cerca de 10 mil pessoas compareçam ao evento. “Muita gente diz que vai, mas, no fundo, é só para mostrar para os outros. Espero que desta vez as pessoas tenham disposição e participem mesmo”, afirma.

Sem bandeiras partidárias
Sem lideranças pré-estabelecidas, o movimento criado há dois meses define-se como totalmente apartidário e pede que ninguém estampe em bandeiras ou camisetas símbolos de partidos ou políticos. “Nossa ajuda de custo veio apenas de colaboradores. Fizemos tudo no esquema de vaquinha mesmo. Muita gente abraçou a causa e nos ajudou doando materiais e mão-de-obra para confeccionar os cartazes”, afirmou Lucianna.

O intuito dos manifestantes é pedir o fim do voto secreto no Congresso e mais transparência nas ações governamentais. “Só assim para podermos exercer o nosso direito de cidadania que é cobrar dos nossos políticos o que eles prometem. Como a gente vai cobrar se a gente não sabe quem votou a favor ou contra. Então é complicado de exercer a cidadania por debaixo do pano”, ressalta Lucianna.

Mobilização virtual
Apesar do entusiasmo com as mobilizações marcadas para este feriado, o funcionário público e bacharel em Relações Internacionais André Dutra ainda é cético em relação à disposição dos cidadãos em mudar algo na política. “A internet é a melhor ferramenta de mobilização que existe, mas ainda é preciso ter um propósito final de conscientização”, afirma.

Ficha Limpa
Também nesta quarta-feira, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) pretende intensificar a coleta virtual de assinaturas para pedir à presidenta Dilma Rousseff que indique ao Supremo Tribunal Federal (STF) um ministro favorável à aplicação da Lei da Ficha Limpa a partir das eleições de 2012. O movimento é responsável pela coleta de assinaturas que permitiu a apresentação do projeto de lei de iniciativa popular que resultou na norma que proíbe a candidatura de políticos com condenações em órgãos colegiados ou que renunciaram ao mandato para escapar da cassação.

“A presidente Dilma se comprometeu em lutar contra a corrupção. Vamos fazer deste dia 7 de setembro o Dia da Independência da Corrupção”, defende a carta. Em apenas dez horas, mais de 50 mil pessoas assinaram a petição nesta quarta-feira.

Do Congresso em Foco



2 comentários







2 comentários
Topo | Home


Carlos Nasimento | quarta-feira setembro 7 2011 | 09:11

Gostaria muito de participar da “marcha contra a corrupção”. …realmente essa deputada jaqueline roriz ter sido absolvida foi um absurdo, até quando nosso Brasil vai continuar assim? Ah, e hoje é dia da independência do Brasil!

Digo | quinta-feira setembro 8 2011 | 00:41

Mas e aê, vc foi?? Pretérito imperfeito é a pior conjugação para algo q vc deseja fazer! Eu estava lá, debaixo de chuva, fazendo efetivamente alguma coisa. Espero ter te encontrado por lá!