Em Brasília
Atualizado em: 03/08/2011 - 5:19 pm

Senado, Álvaro Dias (PR),

O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), admitiu na tarde desta quarta-feira (3) que não conseguirá reunir as 27 assinaturas necessárias para instalar uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) destinada a investigar as denúncias de corrupção no Ministério dos Transportes.

Após conversar com a secretária-geral da Mesa Diretora, Cláudia Lyra, o senador confirmou que o requerimento da CPI será arquivado no início da sessão por não contar com o apoio de, pelo menos, 27 senadores, como prevê o Regimento Interno da Casa.

Com isso, Álvaro Dias terá que começar do zero a coleta de assinaturas para tentar abrir a CPI. “Nós teremos que buscar novas assinaturas em um novo requerimento, mas não há dificuldade nisso. Quem deseja manter sua assinatura vai colocar novamente, só que em um papel novo”, disse o líder tucano.

“Decisão reavaliada”
No início da tarde, o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), que tinha retirado a assinatura dele do requerimento, reavaliou a decisão e foi à Secretaria-Geral do Senado, junto com o líder do partido, para assinar novamente o documento. Oliveira disse que rompeu um acordo firmado com o titular do mandato que ocupa, João Ribeiro (PR-TO), para “seguir a consciência”. Ele negou, entretanto, que tenha sido pressionado por Ribeiro e pelo PR do Tocantins para retirar a assinatura.

A atitude do senador suplente em nada mudou o cenário da manhã. Quase ao mesmo tempo em que Ataídes reassinava o pedido de CPI, o senador Reditario Cassol (PP-RO) solicitava à Mesa Diretora a retirada da assinatura dele. Com isso, a oposição permanece com 25 apoios para a abertura da CPI dos Transportes.

Leia mais:
Para salvar CPI dos Transportes , oposição vai buscar apoio de senadores independentes do PMDB
Oposição consegue assinaturas para criar CPI dos Transportes
“Quem tratou o PR como se fosse lixo, nas palavras do senador Alfredo Nascimento, foi a Presidência da República”, diz senador
ISTOÉ revela: “As negociatas do ministro Nascimento”

Com informações da Agência Brasil



2 comentários







2 comentários
Topo | Home


VELOZO NETO | sexta-feira outubro 7 2011 | 04:47

Acredite Se Quiser! Lave, escove e perfume o político, ele continuará sendo um ficha suja. A Política Nacional, corrupção sujeira geral, a lei da ficha limpa Nunca… vai ser aprovada. Enfim, “Zangam-se os políticos, descobrem-se as falcatruas, Brigam os ministros, descobrem-se os corruptos.
Consulte portal da transparência, TRE- CGU – PF- MP. Não consulte CPI, é um esquema de Companheiros políticos infratores?..Corrupto que julga corrupto, tudo acaba em pizza.

VELOZO NETO | sexta-feira outubro 7 2011 | 04:49

Nos Estados Unidos, os políticos é preso e condenado por corrupção ou desvio de dinheiro público. Lá não existe foro privilegiado. Todos são julgados pela mesma Justiça que julga o cidadão comum. Na minha opinião “pilantras, vagabundos e sem-vergonha” é esses políticos perpetuador da corrupção, do nepotismo, extorsão, desvio de dinheiro público, vendas de emendas parlamentares e outras falcatruas. Eu duvido que esses políticos vai modificar um pouco a lei no Brasil, impor penas rigorosas, contra si próprio, enfim, todos aqueles detentores do dinheiro sujo e fácil. Se o Brasil fosse um País sério? Para criminosos hediondos prisão perpétua, e para políticos corruptos, usar a utilização do chicote e a lei da china, “Fuzilamento”. (e a família paga a conta)