Polêmica
Atualizado em: 25/10/2011 - 3:05 pm

Ministra Cármen Lúcia durante sessão do TSE. Brasilia/DF 07/04/2011 Foto:Nelson Jr./ASICS/TSE

O Supremo Tribunal Federal (STF) abriu nesta terça-feira (25) inquérito para investigar a possível participação do ministro do Esporte, Orlando Silva (PCdoB), num suposto esquema de corrupção no ministério. A relatora do caso, ministra Carmem Lúcia, também pediu acesso ao inquérito da Operação Shaolin, que está no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

“Está aberta (a investigação) porque o inquérito foi pedido. O fato de começar a investigação não significa que terá prosseguimento, depende do que o procurador-geral da República vai encontrar a partir de agora”, disse a ministra.

Prazo
O STJ terá 48 horas para mandar os documentos ao Supremo. O envio dos dados serve para a ministra tomar melhor conhecimento do caso, e não significa que o processo deixará de ser analisado naquela Corte.

De acordo com o advogado de Orlando Silva, José Carlos de Almeida Castro, foi o próprio ministro quem pediu a investigação por, segundo ele, não haver qualquer indício de sua participação nas denúncias. “Pedi a ela (ministra Carmem Lúcia) que fosse publicizado o inquérito. Para nós, é importante que venha a público, que se dê publicidade ao caso”, disse.

TCU
A ministra também solicitou ao Tribunal de Contas da União (TCU) e à Controladoria-Geral da União (CGU) todas as informações e investigações relativas ao programa Segundo Tempo, que teria sido o embrião do suposto esquema de corrupção.

Além disso, ela solicitou também ao Ministério do Esporte todas as informações de processos relativos aos convênios de ONGs com a pasta. Tanto os órgãos de fiscalização e controle quanto o ministério terão 10 dias para providencias as informações.

Do Portal Terra



0 comentários







0 comentários
Topo | Home