Entrevista
Atualizado em: 31/03/2015 - 9:03 am

"Cada vez que ela [Dilma] se pronuncia, irrita ainda mais a população”, avalia Tasso. O senador, no entanto diz o PSDB não apoia a tentativa de impeachment da presidente

“Cada vez que ela [Dilma] se pronuncia, irrita ainda mais a população”, avalia Tasso. O senador, no entanto diz o PSDB não apoia a tentativa de impeachment da presidente

O senador Tasso Jereissati (PSDB) criticou duramente a politica econômica da presidente Dilma Rousseff (PT). O tucano diz que a crise politica é agravada principalmente devido à postura da petista. “Cada vez que ela [Dilma] se pronuncia, irrita ainda mais a população”, salientou o tucano em entrevista à TV Veja.

A declaração é feita num momento em que o governo da presidente Dilma Rousseff enfrenta baixos índices de popularidade e resistência de congressistas sobre temas prioritários, como ajuste fiscal.

Impeachment
O tucano, porém, afirma que o ninho tucano não apoia a tentativa de impeachment da presidente, uma vez que não há teses jurídicas evidentes. Em outro momento, Tasso já havia defendido que o impeachment da presidente não era o caminho.

Renúncia
Na sua de Tasso, a solução seria a renúncia de Dilma. “Acho que o problema hoje é a Dilma”, revelou o senador. Ele, por sua vez, pontuou que, cada vez que ela se pronuncia, “agrava e irrita as pessoas porque simplesmente ela dá a impressão de que está vivendo em outro mundo, que tudo está maravilhoso, que está tudo bem”.

“Ela (Dilma) tem uma capacidade incrível de irritar e de fazer com que o sentimento que a população tem hoje seja de cada vez mais irritação, às vezes, chegando ao ódio”, disse Tasso, acrescentando que falta sintonia entre todo o governo.

Sem humildade
Para o parlamentar, a presidente não é capaz de reconhecer seus erros e ter humildade para pedir desculpas. “O País está em ruínas, o governo do PT quer colocar uns contra os outros”, criticou o ex-governador do Ceará. Ainda segundo ele, a imagem de Dilma e a “blindagem” ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva começa a “desmoronar” perante a população.

“Faz mal ao mercado”
Tasso afirmou, ainda, que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, “faz mal ao mercado” porque transmite “intranquilidade” e “falta de previsibilidade”. A fala do senador acontece um dia depois de Levy afirmar que Dilma “nem sempre age da maneira mais eficaz”. A frase, divulgada no final de semana, foi dita em inglês, para dezenas de alunos da escola de negócios da Universidade de Chicago e, segundo várias lideranças políticas, pode contribuir para enfraquecer o governo em um momento em que ele já está fragilizado.

Otimista
Dilma, porém, se mostra otimista ao falar da conjuntura econômica nacional. Na segunda-feira (30), no Pará, a presidente avaliou que a crise econômica é uma “dificuldade passageira” e, por isso, não existe a necessidade de “ajustar tudo”, mas de “ajustar um pouco o orçamento” de maneira a superar as dificuldades e superar a crise.

O otimismo da presidente, contudo, vai de encontro aos analistas do mercado financeiro que aumentaram a previsão de encerramento da Selic, a taxa básica de juros da economia, para este ano. Da projeção de 13% que vinha se sustentando há semanas, a estimativa passou para 13,25% ao ano no fim de 2015.

Com informações do OE



0 comentários







0 comentários
Topo | Home