Fortaleza
Atualizado em: 25/06/2013 - 6:13 pm

Vereador também protagonizou escândalos em 2012. Na época de uma das denúncias, Leonelzinho chorou durante sessão da Câmara e disse que não sabia que esposa recebia verba do Bolsa Família. Foto: Reprodução da TV Jangadeiro

Vereador também protagonizou escândalos em 2012. Na época de uma das denúncias, Leonelzinho chorou durante sessão da Câmara e disse que não sabia que esposa recebia verba do Bolsa Família. Foto: Reprodução da TV Jangadeiro

O vereador Leonelzinho Alencar (PTdoB) foi condenado pelo furto de bicicletas que eram utilizadas como “banner ambulante” na campanha eleitoral de 2010. O parlamentar terá de pagar multa de R$ 1,3 mil pela “obtenção e utilização criminosa” do material subtraído do PSDB. Na época, a denúncia foi feita pelo deputado estadual Fernando Hugo (PSDB), adversário político de Leonelzinho em Messejana.

Leite
A Justiça determinou que a multa poderia ser revertida em latas de leite que deveriam ser doadas, até o fim deste mês, a uma instituição de assistência, no caso, o Iprede.

Denúncia
Ainda de acordo com o texto do inquérito, Kamila Castro de Oliveira, à época secretária-executiva municipal do partido, recebeu informação de que as bicicletas estariam guardadas no galpão de uma transportadora, no mesmo bairro de onde foram subtraídas.

Na época, o material foi realmente encontrado no referido galpão e, de acordo com a secretária do PSDB, “na ocasião o proprietário do estabelecimento informou que o material pertencia ao vereador ‘Leonelzinho’ Alencar”. O parlamentar, em seu depoimento à polícia declarou “ter comprado algumas bicicletas com som”, e que elas estariam guardadas no aludido galpão onde foram encontrados os banners.

Notas
O vereador ficou responsável por apresentar as notas fiscais do material no dia seguinte, mas enviou apenas o advogado. Ele alegou que as bicicletas não teriam nota porque foram compradas em um ferro velho. Yuri Rodrigues Cordeiro, apontado como participante na ação, disse que comprou o material de um vendedor de sucata por R$ 20 a unidade.

A justiça entendeu que “pela desproporção entre o valor e o preço pago, além da condição de quem ofereceu o produto, o autor do fato deveria ter presumido que havia sido obtido por meio criminoso”.

Enquanto isso…
Em sua página no Facebook, o vereador publicou uma foto no momento da entrega do leite em pó ao Iprede, conforme determinação judicial, mas tratou o fato como um ato de “solidariedade independente de política.”

Com informações da Tribuna do Ceará



0 comentários







0 comentários
Topo | Home




You must be logged in to post a comment.