Câmara Municipal
Atualizado em: 26/05/2011 - 9:45 am

Os vereadores de Fortaleza decidiram, agora pela manhã, cancelar a sessão itinerante que seria realizada no bairro Antonio Bezerra nesta quinta-feira (26).

O motivo: a manifestação dos professores da rede pública municipal, marcada para ocorrer durante o projeto “Câmara nos Bairros”. Os vereadores temiam que a manifestação “comprometesse a segurança” do evento.

Barrados
Assim que souberam do cancelamento, os professores seguiram para a sede da Câmara Municipal no bairro Luciano Cavalcante. Os educadores foram surpreendido novamente ao chegar à sede do Poder Legislativo municipal já que, por determinação da presidência da Casa, eles foram impedidos de entrar nas dependências da Câmara.

Até arames foram utilizados para evitar a abertura dos portões. A manifestação continuou na calçada.

Reinvidicação
A categoria cobra a implantação imediata do Piso Nacional dos Professores e quer mudanças o projeto de Lei, enviado à Câmara municipal, que trata do reajuste salarial.

Na prática, segundo a proposta, o município pretende dividir a categoria em duas classes. Uma, de profissionais com o ensino médio e outra de professores graduados, com especialização, mestrado ou doutorado. Esta segunda faixa receberia apenas 2% de reajuste salarial.

Os professores garantem que a manifestação é pacífica  e tem como objetivo convencer os vereadores sobre a necessidade de alterações no Projeto de Lei.

Postura
Diante da polêmica, os parlamentares se reuniram para decidir quais atitudes seriam adotadas. Em nota oficial, a Câmara diz que “ontem (quarta-feira, 25), um grupo de manifestantes decidiu de maneira intempestiva ocupar o Plenário desta casa, inviabilizando os trabalhos normais da sessão”.

A atitude considerada “antidemocrática” levou os vereadores a resolverem o seguinte, diz a nota:

1. Não realizar a sessão da Câmara nos Bairros, prevista para esta quinta-feira (26);
2. Retomar a normalidade dos trabalhos da Câmara na terça-feira, com a votação de todas as matérias previstas na pauta; 
3. Garantir todas as condições necessárias para permitir o funcionamento normal da casa em respeito a população de Fortaleza;
4. Manter a negociação de emendas ao projeto de Lei em discussão, no propósito de trazer mais avanços para a categoria.

Confira a Nota Oficial, na íntegra, clicando aqui.

Guarda
A Guarda Municipal foi acionada para, segundo a assessoria de imprensa da Câmara, evitar que os professores “atrapalhassem a ordem” de funcionamento do Legislativo.

O diretor geral da Guarda, Arimá Rocha, esteve no local e disse que vai dedicar “uma atenção especial” à Câmara de vereadores nos próximos dias.

Veja algumas fotos da movimentação na Câmara Municipal nesta quinta-feira:

Acompanhe ainda a reportagem exibida no Jornal Jangadeiro desta quinta-feira (26):



1 comentário







1 comentário
Topo | Home


FRANCISCO DJACYR SILVA DE SOUZA | quinta-feira maio 26 2011 | 17:31

Engraçado na Câmara entre vereador acusado de malversação dos recursos públicos e até acusado de falsificar dip´loma e os professores não podem entrar. Arimá Rocha outro democrata vai inagurar as novas armas da Guarda Municipal no educadores. Democracia é isso…