Ceará, Denúncia
Atualizado em: 08/11/2011 - 5:32 pm

Ferruccio Feitosa, Sérgio Rufino, Orlando Silva e Gony Arruda. Ao fundo, Inácio Arruda e Evaldo Lima. Foto: Jornal Escanteio

Uma entidade presidida pelo vice-presidente do Conselho do Desporto do Ceará, Carlos Sérgio Rufino Moreira, tem convênios com a Secretaria do Esporte do Estado (Sesporte) no valor de um milhão e meio de reais para o Programa Segundo Tempo. Desse total, R$ 1.117.618,95 já foi pago à Confederação Brasileira do Desporto Escolar (CBDE), de acordo com informações publicadas no Portal da Transparência do governo cearense.

Empresário do ramo de transportes, Sérgio Rufino também é pré-candidato à prefeitura do Ipu pelo PCdoB. No âmbito nacional, o partido controla o Ministério do Esporte. Escândalos envolvendo convênios para o programa Segundo Tempo foram responsáveis pela queda do ministro Orlando Silva, no mês passado.

Entre outras atribuições, o Conselho de Desporto é responsável por acompanhar a aplicação dos recursos financeiros utilizados em ações da Secretaria do Esporte do Estado (Sesporte).

Convênios
Outro projeto executado pela CBDE é o Esporte na Escola. Foram cinco convênios que somam R$ 1.737.050. Os documentos oficiais publicados no Portal da Transparência, no entanto, não deixam claro os objetos aos quais se destinam as verbas.

O convênio nº 18/2009, assinado por Sérgio Rufino e pelo então secretário Ferruccio Feitosa, por exemplo, diz que transferência de R$ 211.200,00 foi efetuada com a finalidade de “administrar o Projeto Esporte na Escola, que têm como foco abrir os equipamentos escolares nos finais de semana, oferecendo alternativas de educação, esporte e lazer para a comunidade em geral e particularmente para os jovens, em conformidade com o disposto no Plano de Trabalho devidamente aprovado e assinado”. O referido plano não está no Portal do governo.

Somando outros programas e projetos publicados no Portal da Transparência, a CBDE, que tem sede em Brasília, conseguiu R$ 4.597.374,51 de 2007 a 2011, em 12 convênios celebrados com a Sesporte.

Versatilidade
Além das atividades políticas e empresariais, do trabalho no Conselho da Secretaria do Esporte e na entidade sediada na Capital Federal, Sérgio Rufino ainda administra outra ONG. Sob o seu comando, a Federação Universitária Cearense de Esporte (Fuce) captou R$ 1.351.408 em oito convênios feitos com Sesporte.

Responsável pela realização da Olimpíada Universitária Nacional, em 2009, a Fuce recebeu 600 mil reais para viabilizar o evento “ensejando a prática do esporte e proporcionando o desenvolvimento cada vez maior daquelas modalidades esportivas em todo o Estado do Ceará”, conforme explica o convênio nº 034/2009, também assinado pelo então secretário Ferruccio Feitosa e o presidente da entidade.

Sem impedimentos
Em contato com o Portal Jangadeiro Online, Sérgio Rufino nega que a CBDE tenha recebido recursos federais para o Programa Segundo Tempo. De acordo com ele, o dinheiro é estadual. No site da Sesporte, a informação é que o Segundo Tempo é uma parceria entre os governos estadual e federal. Rufino também ressalta que sua filiação ao PCdoB não tem relação com as liberações. “Eu só me filei no final de setembro e estou à frente dessas entidades há muitos anos, que não atuam no meu município”.

Sérgio Rufino afirma ainda que o fato de presidir entidades não inviabiliza sua participação no Conselho. “Não há nada que impeça e nós tomamos muito cuidado com isso. O órgão é propositivo e não delibera sobre recursos, só fiscaliza”.

Ecletismo
Para o presidente do Conselho do Desporto do Estado do Ceará, Aberlardo Petter Santos Filho, não há conflito de interesse no fato de Sérgio Rufino ser vice-presidente do órgão e presidir entidades beneficiárias da Secretaria de Esportes.

Segundo o presidente, “o Conselho é eclético e representativo”, e por isso reúne diversas organizações ligadas ao esporte, composto de 15 (quinze) membros efetivos e 15 membros suplentes. Ele explica ainda que a participação de um representante da Fuce é prevista no regimento do Conselho. “A indicação é de responsabilidade da entidade”.

Reportagem de Wanderley Filho



0 comentários







0 comentários
Topo | Home




You must be logged in to post a comment.