Bastidores

Afastamento de Cunha é recebido com “alívio” no Ceará

Luizianne Lins acusa “setores da justiça” de “limpar caminho” para Temer. Foto: Divulgação
Luizianne Lins acusa “setores da justiça” de “limpar caminho” para Temer. Foto: Divulgação

O afastamento do presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), repercutiu entre os políticos cearenses. Ainda na quita-feira (05), o assunto foi tema de comentários e pronunciamentos tanto na Câmara Municipal de Fortaleza quanto na Assembleia Legislativa do Ceará, além de provocar manifestações de parlamentares que compõem a bancada federal cearense.

Integrantes do PMDB chegaram a afirmar que a decisão do Supremo Tribunal Federal causou “alívio” aos correligionários. Já aliados da presidente Dilma Rousseff (PT) dizem que o afastamento “veio tarde” e que o processo de impeachment deve ser anulado.

Alívio
O deputado Audic Mota, líder da bancada do PMDB na Assembleia Legislativa, disse que recebeu com “alívio” a notícia do afastamento de Cunha. “Quero deixar claro, que fique registrado nos anais da Casa, que a bancada do PMDB, no Ceará, encontra-se no presente momento, aliviada com a decisão do Supremo Tribunal. Aliviada porque é uma demostração que as instituições estão funcionando e de que mais uma vez, ninguém está acima da constituição deste País, a presidente Dilma está prestes a ser afastada, com data agendada. O presidente Cunha foi premiado com o afastamento, por um poder da República que está funcionando, a uma resposta da agressão que foi feita à Constituição e as leis”, defendeu Audic.

Bastidores
A explicação para tal “alívio” é simples: nos bastidores, a estratégia dos governistas era “colar” a imagem de Cunha a do vice-presidente Michel Temer (PMDB), que deverá assumir o comando do País se for confirmado o afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT) no processo de impeachment. Nos gabinetes, peemedebistas já avaliavam estratégias para evitar esse desgaste. O afastamento de Cunha põe, momentaneamente, fim ao problema.

Caminho para Temer
Em entrevista, a ex-prefeita de Fortaleza e deputada federal pelo PT do Ceará, Luizianne Lins, disse que “essa era uma decisão que, não só a Câmara Federal esperava, mas o Brasil inteiro já esperava”. A petista, no entanto, chama atenção para uma possível estratégia que beneficiaria diretamente o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB).

“Acredito que há também uma intenção do status quo, e aí eu coloco setores da Justiça nele, que estão limpando o meio de campo para o vice-presidente Michel Temer assumir (a presidência da República) sem ruído. Na comunicação a gente sabe que é tudo que não deixa fluir. A gente só pode acreditar que existe, de fato, uma movimentação dos setores da burguesia e de setores da justiça para limpar o meio de campo para que o Temer assuma em condições políticas mais confortáveis”, ressaltou.

Bancada
Na opinião do deputado federal Odorico Monteiro, filiado ao Pros, o afastamento de Cunha terá repercussões importantes na Câmara Federal e também na composição do eventual governo Michel Temer, no caso da presidente Dilma Rousseff ser afastada do cargo por 180 dias.

O parlamentar observa que o deputado Waldir Maranhão, que é o sucessor de Eduardo Cunha na Câmara Federal, foi contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. “Isso provoca uma mexida na correlação de forças dentro da Casa e dá uma mexida na correlação de forças dentro da própria composição do possível governo Temer”, comenta.

Impeachment
Para o deputado federal Chico Lopes (PCdoB), a decisão do ministro Teori Zawascki mostrou categoricamente que o presidente da Câmara dos Deputados cometeu diversas ilegalidades para impedir a tramitação de seu processo de cassação e coagir deputados. “Pelo mesmo motivo de intimidação, coação, retaliação e abuso de poder, os atos praticados por Eduardo Cunha nesse período devem ser anulados, inclusive, a votação do impeachment”, defende.
O parlamentar que ainda avalia que a decisão do STF, embora tardia, pode representar uma grande reviravolta contra a “tentativa de golpe” no Brasil.

Câmara
Na Câmara Municipal de Fortaleza, o vereador Eulógio Neto (PDT) usou a tribuna do plenário para repercutir o afastamento de Cunha. O parlamentar fez uma reflexão sobre o futuro do país e destacou a condução ética do PDT na defesa dos direitos do povo. Segundo o parlamentar, o país está tomando o rumo certo. “Tivemos o afastamento do Eduardo Cunha, logo a Dilma também será afastada e o Michel Temer será questionado pela sua conduta. O País está tomando o rumo certo e o PDT tem marchado ao lado do povo, de forma ética e transparente”, destacou.

Com informações do OE


Curtir: