Ceará

AL instala Frente Parlamentar Nacional em Defesa do Banco do Nordeste

AL instala Frente Parlamentar Nacional em Defesa do Banco do Nordeste. Foto: AL

A Assembleia Legislativa realizou, na manhã desta sexta-feira (05), o lançamento da Frente Parlamentar Nacional em Defesa do Banco do Nordeste (BNB).

O evento mobilizou presidentes de assembleias de cinco estados nordestinos, dirigentes do BNB, deputados federais, estaduais e dirigentes empresariais e sindicais contra a proposta de privatização ou fusão do BNB ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), anunciada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

A iniciativa foi proposta pelos deputados Danniel Oliveira (MDB), Moisés Braz (PT) e Romeu Aldigueri (PDT), tendo sido subscrita pelos deputados Walter Cavalcante (MDB), Nizo Costa (Patri), Jeová Mota (PDT) e Augusta Brito (PCdoB).

O deputado Danniel Oliveira explicou que a ideia é tentar montar uma agenda unindo representantes dos estados nordestinos para mostrar que o Nordeste não aceita a fusão do BNB com o BNDES nem sua privatização. “Devemos realizar uma grande articulação para que nossa posição chegue ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Economia”, pontuou.

O parlamentar disse que o BNB gera muito lucro para a nação. “Ano passado foram R$ 775 milhões de lucro para o Brasil, gerados por meio dos programas do BNB, que, além de ser o grande indutor do Nordeste brasileiro, é o banco que possui a melhor política de fomento ao desenvolvimento da América Latina”, disse.

Articulação
O presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Sarto (PDT), enfatizou a importância da articulação nacional em prol da manutenção do BNB e anunciou que será agendada uma reunião no Senado Federal com o ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni; com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM/AP), e com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), para entregar um documento com o posicionamento dos presidentes de assembleias em defesa do banco.

RC
O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, também ressaltou o papel do BNB para o desenvolvimento da região Nordeste. Conforme observou, “o BNB atua em uma região cheia de nuances geográficas, território árido, dificuldades produtivas, além de grande deficiência em infraestrutura e desenvolvimento”. Por esses motivos, “o BNB deve existir”, acentuou. O gestor de Fortaleza lembrou também a política de crédito diferenciado para indústria e de microcrédito para o produtor rural. “Estamos falando de uma instituição que fomenta o pensamento estratégico do Nordeste”, salientou. Roberto Cláudio informou que irá levar essa discussão para a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e propor o engajamento dos gestores na defesa do BNB.

BNB
Luís Alberto Esteves, economista e chefe do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), apontou que o órgão é chamado de “ineficiente” porque trabalha com uma taxa de juro menor para o pequeno agricultor nordestino, que tem o risco maior, e com uma taxa maior para o empresário, que quem tem risco menor. Para ele, quando se fala em fusão com o BNDES, é necessário levar em conta que o BNDES trabalha com grandes operações estruturadas e é muito competente para fazer o que ele faz. “Mas quem é competente para fazer o que a gente faz, que é acompanhar cinco milhões de pequenas operações, é o Banco do Nordeste”, defendeu.

Servidores
A presidente da Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil, Rita Josina Feitosa, avaliou a defesa do BNB como positiva para os funcionários, para o banco e para o Nordeste. “Estamos vivendo um governo que ainda não explicitou suas intenções e políticas para a região Nordeste, então esse é um prejuízo que não podemos permitir”, enfatizou. O presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra Marques, destacou a importância da formação dessa frente mista em defesa do Banco do Nordeste. De acordo com ele, “quem mais paga dívida no Brasil é o trabalhador, a classe operária e o agricultor, público-alvo do banco”. Carlos Eduardo também informou que, enquanto os cinco maiores bancos privados do país lucraram juntos R$ 70 bilhões, o Banco do Nordeste investiu R$ 43 bilhões na região Nordeste. “Por isso é importante que essa luta pelo fortalecimento do BNB seja uma luta suprapartidária, porque não é uma luta nem da esquerda nem da direita, mas em defesa do Nordeste”, concluiu.

E ainda
Participaram da mesa do encontro os presidentes das assembleias legislativas dos estados do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB); da Paraíba, deputado Adriano Galdino (PSB); do Piauí, Themístocles Filho (MDB); de Sergipe, Luciano Bispo (MDB), e, representando a AL da Bahia, o deputado Eduardo Salles (PP). Além desses, participaram da mesa os deputados federais Eduardo Bismarck (PDT-CE), Mauro Filho (PDT-CE), Heitor Freire (PSL-CE), Dr. Jaziel (PR-CE), Capitão Wagner (Pros-CE), André Figueiredo (PDT-CE), José Airton (PT-CE) e Júnior Mano (Patri-CE), bem como os deputados estaduais Romeu Aldigueri (PDT), Moisés Braz (PT), Augusta Brito (PCdoB), Nelinho (PSDB) e Sérgio Aguiar (PDT).

Com informações da AL


Curtir: