Internacional

Ao lado de Obama, Dilma lança programa para promover maior transparência de governos

Em Nova York, a presidenta Dilma Rousseff durante reunião com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, no Hotel Waldorf Astoria. Foto: Roberto Stuckert Filho/Presidência da República

A presidente Dilma Rousseff participou do lançamento da Parceria para Governo Aberto na condição de copresidente do programa juntamente com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, no hotel Waldorf Astoria, em Nova York. “Trata-se de importante instrumento para fortalecimento das nossas democracias. Congratulo-me com o presidente Obama por haver levantado esse tema”, disse Dilma, sentada ao lado de Obama.

“O uso das redes digitais é essencial para promoção de governos mais transparentes e acessíveis aos cidadãos, para melhoria dos serviços públicos, de educação, saúde, segurança e meio ambiente. Essas redes são importante instrumento para nosso objetivo fortalecimento da democracia”, afirmou Dilma, em discurso de pouco mais de sete minutos. “O Brasil endossa o plano de ação para governo aberto”, completou.

Parceria para Governo Aberto
O programa terá inicialmente a participação de 46 países e tem por objetivo possibilitar maior transparência dos governos. Dilma, ao final, informou que o Brasil irá de sediar o próximo encontro da Parceria para Governo Aberto, em 2012. Minutos antes do lançamento, Dilma e Obama tiveram encontro bilateral fechado no hotel, onde também a presidente está hospedada.

A presidente citou avanços já feitos no Brasil nesse sentido, como o portal “Transparência Brasil” e o fato de a imprensa brasileira não sofrer nenhum tipo de constrangimento por parte do governo. “As convicções do governo nessa matéria são firmes e permanentes e deixei isso bem claro desde discurso de posse”, disse. Segundo ela, seu governo está ciente da importância de se assegurar a prestação de contas, fiscalização e participação dos cidadãos. Ela citou ainda o projeto de ampliação ao acesso à banda larga.

A presidente veio à cidade para a abertura da 66 Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e desde de sua chegada, no último domingo, não concedeu nenhuma entrevista coletiva à imprensa.

Do Estadão.com


Curtir: