Polêmica

Após escândalo das ONGs, deputado do PCdoB cobra mais rigor contra a imprensa

Deputado Lula Morais (PCdoB) diz que o PCdoB colocou em discussão, como pauta prioritária, a necessidade de regulamentação dos meios de comunicação.

O deputado Lula Morais (PCdoB) informou, na sessão plenária desta quarta-feira (30/11) da Assembleia Legislativa, que o PCdoB nacional protocolou, ontem, três ações contra as organizações responsáveis pela publicação das revistas Época e Veja. Segundo o parlamentar, são caluniosas as matérias dos dois veículos sobre o comunista e ex-ministro do Esporte, Orlando Silva, que deixou a pasta após o envolvimento em denúncias de corrupção.

“Tomamos essa atitude atendendo a um clamor da militância, que se sentiu ultrajada e caluniada. As calúnias comprovaram o que o PCdoB já colocou como pauta prioritária: a necessidade de regulamentação dos meios de comunicação. As revistas não têm provas nem fontes, mas repetem a falácia”, criticou.

Cheiro Esquisito
Em aparte, o deputado Fernando Hugo questionou o porquê de o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) não ter tocado os trabalhos da CPI das ONGs, no Congresso Nacional. O parlamentar disse ainda que o ministro Aldo Rebelo (PCdoB), que assumiu a pasta do Esporte com a queda de Orlando Silva, suspendeu convênios e adotou medidas para conter as irregularidades após a divulgação das denúncias pela impresa.

“Vossa Excelência rasga revista e toca fogo no mundo e o ministro termina saindo. Mas o PCdoB mantém o mesmo discurso. O Aldo Rebelo assumiu (no lugar de Orlando) e suspendeu todos os contratos com ONGs. É sinal de que tinha um cheiro esquisito”, enfatizou Fernando Hugo.

Leia mais:
Justiça determina quebra de sigilo fiscal e bancário de Agnelo Queiroz e Orlando Silva  
Gravações mostram Agnelo prometendo ajuda a PM que acusou Orlando Silva  
‘Esporteduto’ do PCdoB controla verba do governo e beneficia aliados do Ceará  
Revistas apontam ligação de Agnelo com pivô de suposto esquema no ministério dos Esportes  

Processos
Os processos estão na Vara Cível Especial de Brasília. Dois tratam de indenizações e dirigem-se às empresas, enquanto a outra ação é penal e cita os nomes dos jornalistas envolvidos na feitura da reportagem. Lula argumenta que o direito de resposta não foi assegurado nem ao partido nem ao governista, conforme prevê a Constituição Federal de 1988. Silva é acusado de envolvimento em esquema de desvio de verbas, por meio de convênios com organizações não governamentais.

As matérias
Cinco matérias são citadas. Três foram publicadas na revista Veja em 19 de outubro, 26 de outubro e 2 de novembro intituladas “O ministro recebia dinheiro na garagem”, “A coisa fugiu ao controle” e “Escândalo latente”, respectivamente. No mesmo período, a Época divulgou duas reportagens: “Comunismo de resultados” e “Pcdobolso”.

Da Editora Abril, o PCdoB reivindica o pagamento de 3.000 salários mínimos. Das organizações Globo, 2.000 salários mínimos.

Com informações da AL


Curtir: