Bastidores

Associação de delegados não descarta medidas judiciais contra eventuais arbitrariedades do ministro da Justiça

Associação de delegados não descarta medidas judiciais contra eventuais arbitrariedades do ministro da Justiça
Associação de delegados não descarta medidas judiciais contra eventuais arbitrariedades do ministro da Justiça

Após reunião da Diretoria Executiva, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) afirmou que não descarta a possibilidade de ingressar com medidas judiciais e administrativas diante de qualquer arbitrariedade que venha a ser praticada pelo Ministro da Justiça.

Por meio de nota, a entidade manifestou “total repúdio” às graves declarações feitas recentemente pelo Ministro da Justiça no sentido, de que afastará, sem provas, Delegados e policiais de investigações criminais.

O ministro da Justiça, Eugênio Aragão, sinalizou que vai afastar da Operação Lava-Jato delegados que atuam na linha de frente da operação em Curitiba, base das investigações que tramitam na primeira instância da Justiça Federal do Paraná, sob a responsabilidade do juiz Sergio Moro. “Além disso, a informação de que o Diretor-Geral da Polícia Federal poderá ser trocado em razão do descontentamento do governo com a atuação republicana, isenta e imparcial da Polícia Federal, demonstra a fragilidade da instituição e a necessidade urgente de aprovação da PEC 412/2009”, aponta a nota.

PEC
A PEC em questão foi uma das revindicações dos últimos protestos. Em tramitação no Congresso Nacional, o texto prevê a autonomia orçamentária, administrativa e funcional da Polícia Federal. Para a ADPF, a postura do novo ministro deixa evidente a necessidade de previsão legal de mandato fixo para o cargo de Diretor-Geral.

Vigilantes
Os Delegados de Polícia Federal afirmaram que permanecerão vigilantes a qualquer possibilidade de ameaça de interferência nas investigações. “As manifestações públicas recentes demonstram que a população brasileira não deseja uma Polícia Federal controlada pelo Governo, e, sim, uma Polícia Federal de Estado, firme e atuante contra a corrupção e o crime organizado”, conclui nota.

Com informações do portal Contas Abertas


Curtir: