Ceará

Bloco de oposição na AL articula estratégias com liderança de Eunício

Bloco de oposição na AL articula estratégias com liderança de Eunício
Bloco de oposição na AL articula estratégias com liderança de Eunício

A formação de um bloco de oposição na Assembleia Legislativa (AL) para a próxima legislatura, que se inicia em 1º de fevereiro de 2015, já começa a se articular com a liderança do PMDB. Deputados de sete legendas reuniram-se na manhã da última terça-feira (11) para começar a definir pontos e táticas de como o grupo, que, por enquanto, se define como um “bloco independente, com tendência à oposição”, irá agir durante os próximos quatro anos.

O grupo começa a ter destaque por estar escorado politicamente ao senador Eunício Oliveira (PMDB) e, possivelmente, comecará a ter o apoio do senador eleito Tasso Jereissati (PSDB).

União
O deputado Danniel Oliveira (PMDB), um dos articuladores do bloco, informou que o encontro de terça-feira foi o primeiro do grupo e que, por enquanto, foi acordado apenas o compromisso de união, para que não haja nenhum desgaste no decorrer da legislatura. “A ideia é juntar um bloco que se mantenha unido para que a gente possa defender as causas desses deputados na Assembleia e, acima de tudo, os diretos do povo cearense. Vamos fazer uma oposição inteligente e racional, uma oposição que busque fazer com que os compromissos que foram feitos durante a campanha sejam todos cumpridos. Nós estamos na perspectiva de fazer uma fiscalização mais intensa”, enfatizou Danniel.

Grupo dos 13
O grupo que, até o momento, conta com 13 deputados, entre reeleitos e eleitos, afirma que um dos objetivos é buscar um lugar na mesa diretora da Casa. O deputado João Jayme (DEM) afirma que, dependendo do número de aliados que eles conseguirem dentro da Casa, eles irão buscar esse espaço na Mesa. Por enquanto, o bloco é formado pelas seguintes legendas: PMDB, PR, PSDB, DEM, PSC, PSDC e PPS. Os membros estão articulando a entrada de pelo menos mais dois partidos para sua formação final, um deles, que já estaria em negociação avançada, seria o Solidariedade.

Até 18?
Sem adiantar quais as siglas, João Jayme afirmou que a adesão destes partidos aumentaria o número de opositores na Casa para até 18. Isso colocaria quase 40% da AL como oposição ao futuro governo Camilo Santana (PT). Entre os partidos que elegeram dois deputados e que teriam possibilidades de compor o bloco, estão o PP, PSD e o PDT.

“A boa prática é que a mesa seja eclética, por bancada de partido ou por bancada de bloco, então, dependendo da quantidade de deputados que a gente atingir, vamos buscar espaços nas comissões e na mesa. Por enquanto ainda não temos musculatura para a disputa a Presidência da AL, mas ainda temos tempo até o grupo estar totalmente formado”, afirmou João.

Eunício
O bloco de oposição terá como líder o senador e ex-candidato ao Governo do Ceará, Eunício Oliveira. Para Danniel Oliveira, sobrinho do senador, Eunício irá dar ao grupo as “condições políticas necessárias” para que o bloco se imponha dentro da AL, levando também para o Congresso ideias e projetos inicialmente apresentados na Assembleia Legislativa do Ceará.

“O Eunício irá nos dar a condição política de poder nos fortalecer, não somente ele como também o Tasso, caso realmente venha fazer parte desse bloco. Nós seremos um grupo que, de fato, terá um peso político muito forte. Nossos líderes nos darão subsídios políticos para fazermos o intercâmbio de informações”, pontuou.

Pessoa
O bloco também conta com o apoio do vice-presidente do PR Ceará e ex-candidato a vice-governador, Roberto Pessoa. A pretensão é que todo o bloco se reúna com seus líderes – Eunício, Tasso e Roberto -, até o final do mês. “Eles, como nossos líderes, irão nos orientar”, destacou Danniel.

Com informações do OE


Curtir: