Nacional
Atualizado em: 18/07/2011 - 9:47 am

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, admitiu que “falha” da equipe de planejamento do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) pode ter causado aditivos de mais de 100% do valor de uma obra rodoviária.

A afirmação do ministro foi feita ao comentar a suplementação orçamentária para a obra da BR 101, no Rio de Janeiro. O empreendimento foi licitado em R$ 20,4 milhões e além do valor global, recebeu outros R$ 25 milhões em aditivos.

Passos alegou que o grande número de vias marginais, viadutos, custos de desapropriação e remanejamentos de redes de áreas urbanas encarecem a obra. Questionado se as variáveis já não deveriam estar previstas na formação inicial do preço da concorrência, o ministro admitiu erro do departamento de infraestrutura da pasta. “Pode ter havido falha no projeto original, sim. A área de planejamento do DNIT é responsável.”

Histórico
A reportagem da Isto É relata que no ano passado, quando Paulo Sérgio Passos exerceu interinamente o cargo de ministro para que Alfredo Nascimento, então titular da pasta, fizesse campanha ao governo do Amazonas, liberou R$ 78 milhões em créditos suplementares para três grandes obras. Os empreendimentos, de acordo com a revista, constavam da lista de irregularidades graves do Tribunal de Contas da União, que identificou pagamentos antecipados, ausência de projeto executivo, fiscalização omissa e superfaturamento.

Leia mais:
Sob gestão de Passos, gastos extras dos Transportes subiram 154% 

Mesmo após denúncias, Pagot afirma que pretende continuar na direção do Dnit 
Obras rendem R$ 18 milhões à construtora de mulher de diretor do Dnit 
Ministro dos Transportes afasta diretor interino do Dnit 
 

Várias das empreiteiras beneficiadas pelos aportes extraordinários doaram um valor de aproximadamente R$ 5 milhões a candidatos do PR durante a campanha eleitoral.

Denúncias
O Ministério dos Transportes vem enfrentando uma série de denúncias e passando por mudanças desde a reportagem da revista Veja sobre um esquema de cobrança de propinas na pasta. As denúncias levaram o então ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, pedir demissão do cargo, que agora é ocupado por Paulo Sérgio Passos. O diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit), Luiz Antonio Pagot, que também teve o nome envolvido nas denúncias está de férias.

Com o Correio Braziliense e informações da Agência Brasil

Siga-nos e curta-nos:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me