Economia

Brasil foi o último “almoço grátis” para os bancos, diz Dilma ao “Financial Times”

Brasil foi o último “almoço grátis” para os bancos, diz Dilma ao “Financial Times”

Em entrevista públicada nesta quarta-feira (03) pelo jornal de economia britânico ‘Financial Times’, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o Brasil foi o último “almoço grátis” no mundo para os bancos internacionais. Na declaração, a presidente fazia referência à queda da taxa de juros durante o seu governo, que diminuiu a rentabilidade dos bancos que operam no Brasil e incentivou setores produtivos como a indústria.

“Estamos voltando para um local com níveis normais de rentabilidade. Isso significa que alguns de nós precisamos começar a olhar para os lucros adequados em atividades produtivas que são boas para o país”, disse a presidente.

Classe Média
Dilma também afirmou na entrevista, assinada pelo correspondente do jornal em São Paulo, Joe Leahy, que quer transformar o Brasil em um país de classe média. “Isso, eu acho, é um ganho muito importante para o Brasil, o de para transformar o Brasil em uma população de classe média. É isso que queremos, queremos um Brasil de classe média”, afirmou a petista.

Desafios
Questionada sobre os princiais desafios, Dilma, segundo o autor, apontou para um “suspeito familiar”. Leahy escreveu que política monetária fácil nos EUA, quando não acompanhada de políticas fiscais para absorver excesso de fundos, leva à desvalorização da moeda e inflação.

“As políticas monetárias expansionistas que levam à desvalorização da moeda são as políticas que criam assimetrias nas relações comerciais, assimetrias graves”, disse Dilma ao jornalista.

Com informações de O Globo


Curtir: