Câmara dos Deputados

Câmara Federal lança mestrado profissional sobre Poder Legislativo

A Câmara dos Deputados lançou na última terça-feira (07) edital de seleção de alunos para o primeiro mestrado promovido pelo órgão. O Mestrado Profissional em Poder Legislativo terá duração de dois anos, a partir de março de 2013, e está aberto a qualquer pessoa que tenha concluído curso de graduação reconhecido pelo Ministério da Educação.

Vagas
Serão oferecidas 12 vagas, sendo quatro para cada linha de pesquisa: organização; processos políticos; e política institucional do Poder Legislativo. A seleção dos candidatos envolverá uma prova de proficiência em inglês, um exame discursivo sobre bibliografia pré-determinada, entrevista e análise de pré-projeto de pesquisa. As inscrições estarão abertas entre os próximos dias 13 de agosto e 6 de setembro, mas ainda não há data marcada para as provas e entrevistas.

Custo
O mestrado da Câmara terá um custo total de R$ 33,6 mil divididos em 24 prestações, mas os ocupantes de Cargo de Natureza Especial (CNE) há mais de três anos e os servidores efetivos da Câmara que passarem na seleção estarão isentos dessa taxa. Em ambos os casos, os candidatos não deverão ter participado de curso de especialização financiado pela Câmara nos últimos três anos.

Convênio
Os servidores de órgãos com os quais a Câmara mantém convênio de cooperação, como o Tribunal de Contas da União e a Câmara Legislativa do Distrito Federal, também podem ficar isentos do custo do mestrado. Serão reservadas duas vagas para esses candidatos.

Sem distinção
O diretor substituto da Coordenação de Pós-Graduação da Câmara, Roberto Miranda, explicou que não haverá distinção entre os candidatos da Câmara e os de fora do órgão na seleção para o mestrado. “A origem do aluno não é importante. O objetivo é conseguir formar profissionais de alto nível que consigam associar conhecimentos acadêmicos e técnicos para a melhoria do Poder Legislativo como um todo, ou seja, de forma que todas as áreas que atuem ou dialoguem com esse poder sejam beneficiadas”, explicou.

Com informações da Agência Câmara de Notícias


Curtir: