Câmara Municipal

Câmara de vereadores retoma negociações com professores do município

Comando de greve em reunião com representantes da Câmara Municipal. Foto: Kézya Diniz

A Câmara de vereadores de Fortaleza (CMF) voltou a receber as reivindicações dos professores da rede pública municipal. No início da manhã desta terça-feira (31), as negociações para a implantação do piso salarial foram retomadas.

 Leia mais:
Professores protestam no pátio da Câmara Municipal de Fortaleza
Câmara de vereadores retoma polêmica sobre reajuste de professores

Reunião
O comando de greve esteve reunido com os vereadores Guilherme Sampaio, Ronivaldo Maia (ambos do PT) e com o  presidente da CMFor, vereador Acrísio Sena (PT).

Votação
O Projeto de Lei proposto pela prefeitura de Fortaleza não chegou a ser incluído na pauta do dia, mas é certo que ele vai receber emendas antes de seguir para votação.

Cofre
Segundo o líder da prefeita, vereador Ronivaldo Maia (PT), o desafio agora é encontrar um meio termo que seja financeiramente viável para o cofre da prefeitura.

Sem desculpa
Já o vereador João Alfredo, que concorda com as reivindicações da categoria, disse que as limitações financeiras não podem servir como desculpa para que a prefeitura adie a implantação do Piso Nacional dos professores.

Greve
Enquanto o impasse continua, os professores da rede municipal decidiram, em Assembleia, continuar a greve por tempo indeterminado.

Acompanhe a matéria exibida no Jornal Jangadeiro desta terça-feira (31):


Curtir:


7 thoughts on “Câmara de vereadores retoma negociações com professores do município

  1. A gora não há caminho para se recuar o importante é vançar nas conquistas. Já é histórico o discusso de professor desmotivado, baixo salário, falta de horário de planejamento, educação ruim e estrutura precária. Se o dinheiro existe( e não é pouco) porque não reveter esse quadro e começarmos um novo tempo, criarmos um novo discusso. Tudo isso na educação não é mera fatalidade e sim, descasso, falta de compromisso dos governantes com a EDUCAÇÃO dos filhos dos trabalhadores, é falta de aplicação correta dos recursos financeiros naquilo que realmente é importante para melhorar a qualidade da educação. Srs. vereadores onde está o compromisso de vocês com o povo que os elegeu? Querem garantir o mandato nas próximas eleições e gordo salário de vcs? Então façam cumprir a lei, afinal a prefeita não está acima da Lei e quem vai garantir o futuro de vcs é o POVO nas urnas e não a Luiziane Joaninha. Leiam a lei do piso, estudem para vcs entenderem e saberem que o dinehiro para pagar o piso aos professores não vem do municipio e sim do que este recebe do FUNDEB, onde 60% é para folha de pagamento. Se faltar dinheiro pede para DILMA que ela dá, é isso que reza a LEI DO PISO, não queiram ludibriar o povo com o discusso torto , retrogrado e demagogo de que o municipio de FORTALEZA não tem dinheiro. Num pais civilizado EDUCAÇÃO e SAUDE são PRIORIDADE.

  2. Já sabemos: próximas eleições esses que estão aí nunca mais! É hora de mudar, de fazer valer o nosso direito.

  3. É uma vergonha sem tamanho,mais de um mes de greve e tudo continua na mesma,até quando nossas crianças vão ter que esperar por um acordo entre professores e prefeita?Peço aos vereadores que tentem ajudar a população de fortaleza.sra prefeita será que a classe assalariada vai ter que passar fome para colocar seus filhos em uma escola?

  4. Os professores não lutam por “um reajuste”, mas pelo respeito a Lei Nº 11.738, de 16 de julho de 2008.
    Essa lei vai muito além de um reajuste salarial.

  5. gente…. ñ tem desculpa!ñ falta dinheiro p/ pagar os salários,eu já tinha conhecimento(desde o dia 22/05,segundo reportagens na imprensa cearense) q o MEC iria disponibilizar recursos p/ pagamento do piso,caso o município ñ o tivesse!

  6. Torço muito para que as negociações avancem e terminem da melhor forma possível. Essa greve já prejudicou muito as crianças e adolescentes do município. Já está mais do que na hora de se chegar a um consenso. Não gostei da condução do movimento por parte dos professores, mas não é momento de julgá-los, mas de chegar a uma solução.

  7. Espero mesmo que a greve se resolva. Considero a causa justa, mas os professores vêm fazendo greves todos os anos. Isso não é justo com a sociedade. Tomara que agora finalmente se chegue a um acordo justo para todas as partes.

Comments are closed.