Ceará

Campanha da ACM trabalha valorização do juiz e empoderamento do cidadão

campanha amc
O lançamento ocorreu no salão de convenções do hotel Luzeiros e contou com presença de juízes. Foto: Divulgação

Com o conceito “O seu direito é nosso dever. O juiz é por você, cidadão”, a Associação Cearense de Magistrados (ACM) lançou, na segunda-feira, 30 de maio, campanha de iniciativa da entidade enfocando o acesso à justiça e em prol da valorização do trabalho dos juízes estaduais do Ceará.

Seis meses
A campanha entrou no ar no mesmo dia e será veiculada durante seis meses. Os meios de comunicação em que as mensagens vão circular são: rádio, televisão, mídia digital exterior (terminais de ônibus e edifícios comerciais), busdoor e internet, sendo os maiores sustentáculos o rádio e as redes sociais. A estimativa é que alcance cerca de 5,3 milhões de pessoas.

“Queremos dizer ao cidadão que estamos ao lado dele. Que estamos aqui para prestar um bom serviço de justiça e que nós queremos que eles entendam que não prestamos um serviço de justiça de maneira mais célere e adequada por não termos condições de fazer isso”, declarou a 1ª secretária da ACM, juíza Ana Cleyde Viana.

Objetivo
Na ocasião, o presidente da ACM, juiz Antônio Araújo, destacou que a iniciativa foi desenvolvida com o objetivo de sair da abordagem comum de apenas mostrar o trabalho do magistrado. Acrescentou que o diferencial é informar a sociedade sobre a realidade do sistema de justiça no Ceará.

“Buscamos elaborar um material que enaltecesse não só o nosso trabalho, que merece e deve ser enaltecido, como também, que mostre para a sociedade as dificuldades pelas quais passa o Poder Judiciário do Ceará. Nós temos plena consciência de que nossos juízes são abnegados e heróis, pois em gestos de boa vontade e improviso, fazem aquilo que é necessário se fazer”, declarou.

Conceito
A concepção da campanha tem como base mostrar que o trabalho do magistrado é destinado à garantia dos direitos de todo cidadão. Isso está retratado nas imagens da campanha, nas quais uma metade destaca diversos perfis e faixas etárias; e a outra metade traz o conceito da campanha, sintetizando a ideia do juiz lado a lado com o cidadão. Também há materiais com dados sobre a realidade de carência de estrutura e de orçamento do Poder Judiciário insuficiente para a demanda, bem como estatísticas do desempenho dos magistrados da Justiça Estadual do Ceará.

Participação direta
No intuito de estreitar ainda mais o elo entre cidadão, juízes e justiça, a campanha foi planejada e desenvolvida pessoalmente por juízes – membros da diretoria da associação, juntamente com a assessoria de comunicação da ACM e a Mulato Comunicação. Entre as ações em rádio estão programetes em que juízes de Direito do Ceará dão informações e dicas sobre o acesso à justiça, além de esclarecer discursos equivocados, como o de que “a Polícia prende e a Justiça solta”.

Números
Já é cerca de 1,5 milhão (um milhão e quinhentos mil) a quantidade de processos que tramitam na Justiça Estadual do Ceará. Na missão de julgá-los, atualmente existem 458 juízes. Dados oficiais mais recentes do Conselho Nacional de Justiça (Justiça em Números 2015) mostram que cada juiz da Justiça Estadual do Ceará julga, em média, 1.245 processos por ano, o que significa 5,1 processos julgados por dia útil. É quase o dobro do que fazem os juízes pelo mundo, cuja média é 736 processos julgados por juiz ao ano, conforme pesquisa do CNJ de 2011, realizada em 42 países.

Contraste
Números positivos do desempenho dos magistrados contrastam com indicadores alarmantes relativos à estrutura. O orçamento do Judiciário cearense abaixo das necessidades fica evidente ao comparar a despesa total do Judiciário por habitante: apenas R$ 120,26 no Ceará, quando a média da Justiça Estadual de todo o Brasil é R$ 185,44 e a maior do país chega a R$ 693,74, no Tribunal de Justiça do Distrito Federal. Outra triste estatística é a de que a Justiça Estadual do Ceará possui o menor índice de servidores por 100.000 habitantes do país: 60 servidores, quando a média nacional é 134.

Com informações da Assessoria

 


Curtir: