Ceará

Campanha eleitoral ainda é tímida nas ruas de Fortaleza

Campanha eleitoral ainda é tímida nas ruas de Fortaleza
Campanha eleitoral ainda é tímida nas ruas de Fortaleza

A Copa do Mundo terminou, mas, nem por isso, os principais candidatos ao governo do Ceará deram a largada efetiva na corrida eleitoral. Nas ruas, a divulgação das candidaturas ainda é tímida, sem bandeiras e carros de som. Os concorrentes estão priorizando caminhadas nas ruas da Capital, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e visitas ao interior do Estado.

Legislativo
Entretanto, políticos que disputam cadeiras na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal já começaram a popularizar a campanha eleitoral, circulando nos bairros de Fortaleza com carros de som, e seus respectivos jingles, além da contratação de militância paga para empunhar bandeiras em cruzamentos da cidade.

O vereador Vitor Valim (PMDB) e o deputado Danniel Oliveira (PMDB), que concorrem ao pleito deste ano, implantaram cavaletes com as respectivas fotos e números de campanha na Praça Portugal. A ex-prefeita Luizianne Lins (PT), que volta ao cenário político concorrendo à vaga de deputada federal, já expõe suas bandeiras em cruzamentos, como na Avenida Francisco Sá com Av. Pasteur, no bairro Carlito Pamplona, por exemplo.

De acordo com Vitor Valim, desde o último dia (6), dia em que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) liberou a propaganda política, está em atividade nas ruas. “Não posso falar pelos outros, mas minha campanha já está nas ruas”, disse, após ser questionado sobre a campanha nas ruas ainda estarem mornas.

Estressante
A comerciante Maria Yasmim Sousa, 45, que reside no Bairro Carlito Pamplona, considera “estressantes” as atividades políticas. “Ainda pouco se vê, mas daqui a alguns dias, as avenidas de Fortaleza estarão entupidas de bandeiras, panfletos”, disse. “Acho legítimo”, opinou o funcionário público, Carlos Eduardo Pacheco, 52. “É uma forma de os candidatos se manifestarem ao eleitor”, afirmou.

Já a aposentada Marta Costa Lima, 75, pondera que, por conta da “falta de credibilidade” da política, a população “não leva mais a sério” as campanhas. “Acho tudo muito forçado. Uma grande parcela tem consciência em quem é melhor votar, mas muitos são induzidos pela excessividade das campanhas”, avaliou.

Opinião
O cientista político e professor da Universidade de Fortaleza, Francisco Moreira, ponderou que apesar da disputa a vaga de governador do Estado já ter iniciado com embates políticos, citando o caso da impugnação de candidaturas, por parte da coligação de Camilo Santana (PT), contra a chapa encabeçada por Eunício Oliveira (PMDB), as atividades nas ruas só deverão se intensificar, com a inauguração dos comitês de campanha. “As últimas campanhas têm cada vez iniciado mais tarde. Os candidatos deixam para começar a sua potencialidade nos últimos meses de campanha”, pontuou. Para Moreira, a campanha ocupará de fato as ruas, após os candidatos lançarem seus comitês eleitorais.

Estratégias dos candidatos
O candidato Ailton Lopes (Psol) dedica-se a cumprir compromissos partidários que vão desde reuniões internas a lançamento de candidaturas. Além de receber aliados nacionais.

Legislativo
Já Eliane Novais (PSB) arriscou um corpo a corpo com o eleitorado com visitas a feiras livres e panfletagem, entretanto, tem se dedicado à organização de campanha. Ela ainda tem participado das sessões plenárias da Assembleia Legislativa.

Preparativos
Já o petista Camilo Santana e o peemedebista Eunício Oliveira começaram a semana com poucas atividades. Os dois deram prioridade ao preparativos para conceder entrevistas. Eunício, porém, deu uma pausa e atendeu ao pedido da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, para acompanhar a abertura da VI Reunião do Brics, que aconteceu na última terça-feira (15), em Fortaleza.

No último final de semana, os dois participaram de caminhadas e visitas ao interior do Estado, mas a movimentação na Capital ainda está aquém do ritmo característico das campanhas eleitorais.

Com informações do OE


Curtir: