Debate Eleições 2012

Candidatos à prefeitura de Fortaleza participam de debate; Nos bastidores, Ciro Gomes e os “fascistas”

Ciro Gomes acompanhou o debate por um telão, na rua, ao lado de militantes. Foto: Kézya Diniz/Via Instagram

Oito candidatos que disputam a prefeitura de Fortaleza participaram do debate promovido pela TV O Povo na noite deste domingo (29). Durante duas horas e meia, eles responderam a perguntas elaboradas pela produção do programa, por internautas, convidados e pelos adversários. Mais uma vez, os candidatos priorizaram a apresentação de propostas para a área da Saúde.

Ciro e os “fascistas”
Do lado de fora, militância do PSB, do Psol e do PCdoB mostrava ânimo, com bandeiras em punho, na torcida pelo seu candidato. O ex-ministro Ciro Gomes também acompanhou o debate do telão no meio da rua, comendo pipoca, e quase bateu boca com uma filiada do Psol.

Quando o candidato do PSB, Roberto Cláudio, apareceu na tela militantes do Psol gritaram: “Ow ow ow, vai bater no professor”. Em resposta, Ciro Gomes disparou: “Quem invade o parlamento é fascista. Quem bate em deputado é fascista”. A militância do PSB completou em coro: “Fascista, fascista, fascista!”

Prioridades
No primeiro bloco, os candidatos responderam a uma mesma pergunta elaborada pela produção do programa e disseram qual seria a proposta prioritária para a administração de Fortaleza. A ordem dos convidados foi definida por sorteio.

Heitor Férrer (PDT) defendeu a reestruturação do Sistema de Saúde de Fortaleza e prometeu, caso eleito, construir um novo IJF; Moroni Togan (DEM) disse que a prioridade é “salvar a vida do povo” com ações da área da Saúde e a Segurança Pública.

Na sequência, Roberto Cláudio (PSB) disse que antes de construir novos equipamentos, a prioridade é “colocar o que já existe para funcionar”; Professor Valdeci Cunha (PRTB) defendeu a criação de um instituto de Planejamento sustentável para Fortaleza; Renato Roseno (Psol) afirmou a necessidade de implementar um Pacto em defesa dos direitos das crianças e adolescentes de Fortaleza.

Inácio Arruda (PCdoB) disse que as ações tem que ser bem planejadas em todas as áreas “fazer com que a saúde seja prioridade significa planejar a cidade”, defendeu; Marcos Cals (PSDB) firmou posição como um candidato que representa a “verdadeira” oposição. “Há oito anos fazemos oposição a esse projeto que aí está”; Por fim, Elmano de Freitas (PT) se apresentou como candidato de Lula, Dilma e Luizianne e disparou: “O governo do PT aumenta as possibilidades principalmente para quem precisa”.

Estratégia
Nos blocos seguintes, candidato perguntou para candidato. Nesse sistema, como já virou praxe, os candidatos, claramente bem orientados por assessores e marqueteiros, fazem perguntas que querem responder. Assim, já incluem parte do discurso na pergunta e apresentam propostas na réplica da resposta feita para o outro candidato. Estratégia pura!

Os oito candidatos de partidos que tem representação na Câmara Federal participaram do Debate na TV O Povo. Foto: Kézya Diniz

Rejeição
Um dos pontos de destaque foi o momento em que Valdeci Cunha questionou Elmano de Freitas sobre como defender a continuidade a um governo que tem 71% de desaprovação, citando a rejeição ao governo de Luizianne Lins (PT) registrado nas pesquisas de intenção de voto. O petista, com aparente tranquilidade, disse que é preciso avançar em projetos e ações que foram bem sucedidas na atual gestão, corrigindo erros e avançando.

O Alvo
Elmano de Freitas, aliás, foi alvo preferencial dos outros sete candidatos que criticaram a gestão que teve a participação do petista.

Transparência
No momento mais tenso do debate, Renato Roseno “lançou um desafio” para Elmano de Freitas ao propor que o candidato do PT “em nome da transparência” coloque a disposição a lotação de cada um dos servidores terceirizados da prefeitura de Fortaleza.

Elmano de Freitas tergiversou e na réplica, Renato Roseno disparou um “vou perguntar novamente” acrescentando na formulação da pergunta que “existe uma relação suspeita pra não dizer promíscua entre as empresas de terceirizados e os vereadores”.

O candidato do PT, que tem o apoio de Luizianne Lins, disse que a prefeitura é transparente e que todas as informações que Renato Roseno pediu estão disponíveis na página do portal da transparência da prefeitura de Fortaleza.

Considerações Finais
Nas considerações finais alguns candidatos usaram argumentos curiosos. Moroni Torgan, por exemplo, iniciou a fala dizendo: “Eu acredito no papai do céu”, e concluiu afirmando que “há doze anos que me preparo pra ser prefeito dessa cidade, é a quarta vez que eu tento e sei que estou preparado pra isso”.

Marcos Cals ressaltou: “Não nos misturamos com o PT” e terminou com um convite inusitado. “Por falar em transparência, convido o povo de Fortaleza para ver o julgamento do mensalão na quinta-feira, a partir das 17 horas, no Supremo Tribunal Federal pra ver quem é que está envolvido com corrupção”

Valdeci Cunha pediu que “Deus abençoe essa nossa tarefa”; Heitor Férrer citou ações como vereador e deputado estadual e disparou “Esse aguerrido parlamentar será o prefeito pra você chamar de seu”; Inácio Arruda falou sobre a origem humilde dos pais e da criação que recebeu; Roberto Cláudio disse que conta com o apoio de Cid Gomes e Dilma Rousseff para mudar “o destino do povo de Fortaleza”.

Acompanhe na reportagem do Jornal Jangadeiro:

[youtube]http://youtu.be/BYJFRsKOJ24[/youtube]


Curtir: