Nacional

Carrinho de Compras: STJ gasta R$ 56,3 mil em televisores

Carrinho de Compras: STJ gasta R$ 56,3 mil em televisores

Para acompanhar tudo que acontece no países ultimamente, só com muitas televisões ligadas. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) poderá ficar de olhos bem arregalados diante de 23 televisores de LED.

O custo total é de R$ 56,3 mil. O levantamento é da ONG Contas Abertas.

O STJ reservou R$ 38,5 mil para a compra de 10 televisores LED de 55 polegadas, da marca LG. Outros R$ 9,4 mil serão destinado à aquisição de oito unidades de televisores de 32 polegadas da marca AOC.

Mais R$ 8,4 mil ainda foram empenhados para a compra de cinco televisores LED de 42 polegadas, também da marca AOC.

Manutenção
A Câmara dos Deputados reservou R$ 3,7 mil para prestação de serviços de manutenção preventiva em portões automáticos instalados em imóveis funcionais e outras dependências da Casa. O valor atende despesas de quase dois meses de contrato. O pedido é da Coordenação de Habitação da Câmara.

“Complementares”
A Câmara ainda vai destinar R$ 602,8 mil com despesas complementares para a construção do Centro de Gestão e Armazenamento de Materiais da Casa. O centro servirá para abrigar almoxarifados, depósitos de materiais, arquivos e setores administrativos da Câmara dos Deputados, com área prevista de 13.200 m².

Copos
O Senado Federal reservou R$ 48 mil para a compra de 400 mil copos descartáveis. As unidades possuem capacidade para 180 ml cada para líquidos frios ou quentes. Os copos ainda são atóxicos e biodegradáveis.

Jardins
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reservou R$ 272,5 mil para a prestação de serviços de manutenção e conservação de áreas ajardinadas da Corte. Os serviços são prestados por meio da alocação de postos de trabalho e com o fornecimento de plantas, materiais e equipamentos.

Bebidas
O Tribunal Superior do Trabalho (TST) reservou R$ 32,2 mil para a compra de 5 mil pacotes de café em pó homogêneo, torrado e moído, tipo tradicional, constituído de grãos de café tipo oito ou melhores, com nota de qualidade global igual ou superior a 4,5 pontos na escala sensorial. A marca é Fino Sabor. Já a Câmara dos Deputados quer uma bebida menos cafeína. A Casa empenhou R$ 7,8 mil para o fornecimento de chás, da marca Real. O valor deve atender a dois meses de chás no órgão.

Tudo OK!?
O levantamento é do portal Contas Abertas. A publicação ressalta que, em princípio, não existe nenhuma ilegalidade nem irregularidade neste tipo de gasto feito pela União e que o eventual cancelamento de tais empenhos certamente não ajudaria, por exemplo, na manutenção do superávit do governo ou em uma redução significativa de despesas.

A intenção de publicar essas aquisições é popularizar a discussão em torno dos gastos públicos junto ao cidadão comum, no intuito de aumentar a transparência e o controle social, além de mostrar que a Administração Pública também possui, além de contas complexas, despesas curiosas.

Com informações do portal da ONG Contas Abertas


Curtir: