Jogo Rápido

Caso Heitor x Pesquisa bate recorde

Caso Heitor x Pesquisa bate recorde

A notícia sobre o pedido de inclusão no segundo turno da eleição em Fortaleza, feito pelo candidato Heitor Férrer (PDT), repercutiu intensamente nas redes sociais. Para que vocês tenham uma ideia, a notícia bateu recorde de compartilhamento no Facebook. Em apenas um dia, foram mais de oito mil leitores divulgando a informação através de suas páginas na rede social.

A partir dessa mobilização, o gerente de convergência do Sistema Jangadeiro, Helcio Brasileiro, escreveu no blog Rotativa um texto muito bacana sobre o jornalismo na internet. É uma grande satisfação ver a opinião de um profissional que está entre os mais conceituados do país, com larga experiência em comunicação na internet. Um reconhecimento pessoal e que serve de estímulo a todos os que trabalham e gostam de notícia.

Divido com vocês. Boa leitura!

Houve um tempo em que os jornais impressos eram tribunas para grandes debates entre colunistas. O “quiprocó” entre articulistas era acompanhado como se fosse novela. Para muitos leitores, o resto do jornal vinha quase como um plus. A indústria fonográfica vivia uma questão parecida: eram vendidos discos (ou depois CDs) com poucas músicas que interessavam ao consumidor, mas não havia como fugir do pacote. Quem resolveu de vez a questão foi o ITunes, permitindo a venda apenas das músicas desejadas.

O jornalismo online, ainda tão perdido em seu modelo de negócios, se baseia numa proposta de conteúdo muito similar. Todos oferecem uma plataforma de diferentes conteúdos destacáveis. Em todos há também formas de se compartilhar as matérias nas mais diferentes redes. O desafio não é ser mais lido apenas na plataforma de origem, é como levar cada notícia mais longe.  Isso não é um desafio do profissional de redes sociais, lá na ponta, mas da gênese do conteúdo, seja matéria escrita, vídeo, infográfico ou o que for.

A matéria da imagem acima, feita pela jornalista Kezya Diniz, até este momento teve 6,5 mil cliques em “Curtir”, o que significa que ela apareceu na linha do tempo por enquanto de 6,5 mil pessoas no Facebook. A gente sabe que o algoritmo do Facebook gera um filtro que faz com que apenas uma parte dos nossos contatos leia o que postamos. Considerando de forma grosseira um potencial impacto de 100 pessoas por cada Curtir, o alcance da matéria seria de 650 mil leitores numa única notícia em um dia. Muito mais que as versões inteiras dos impressos locais somadas.

Claro que o assunto em questão é viralizante por si só, afinal, para muitos, gerou a saída do candidato do segundo turno. Mas não existe acaso. Kezya é uma máquina multimídia. Faz vídeos para a TV, grava outros específicos para a internet, escreve diversos textos diários em seu blog, tem faro e conhecimento claro do que é default e do que é polêmico (não abrindo mão de nenhum dos dois), preserva suas fontes e compartilha sem descanso nas redes sociais tudo que publica. Como, ao contrário de outros canais, o conteúdo online não é perecível, a “biblioteca” do blog Politika não deve demorar muito para ter mais textos que qualquer outra biblioteca física local.

Tanta atividade garante uma relevância real ao blog, tanto aos olhos dos interessados na política cearense quanto ao Google. Todos os dias há conteúdos “explodindo” mundo afora, mas, com toda certeza, é muito fácil que isso aconteça onde existe uma eterna centelha de jornalismo cada vez mais social. Quem diz se a notícia é boa não é apenas o seu chefe, são os leitores.


Curtir: