Ceará

Ceará: OAB lança nota em que repudia uso de bala de borracha em manifestações

Valdetário Monteiro é o presidente da OAB Ceará
Valdetário Monteiro é o presidente da OAB Ceará

A Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Ceará, enviou nota ao blog em que diz repudiar a utilização de balas de borracha contra manifestantes, em Fortaleza e pede respeito ao livre direito manifestação.

Acompanhe o que diz a OAB:

“A Diretoria da OAB-CE reitera o apelo para que as autoridades respeitem o livre direito de manifestação e evitem o uso excessivo de força policial nos protestos, colocando em risco a integridade física de pessoas que têm exercitado o direito constitucional de liberdade de expressão.

Observadores da OAB-CE, que acompanharam a manifestação no entorno da Arena Castelão, durante o jogo Brasil x México, pela Copa das Confederações, relataram excessos da Polícia Militar, que alvejaram com balas de borracha manifestantes em postura de não resistência e jornalistas que estavam fazendo a cobertura do movimento das ruas. Alerta a Diretoria da Ordem dos Advogados no Ceará que a polícia precisa estar preparada para lidar as manifestações com convivência e diálogo, sem adotar a postura de confronto, o que gera conflitos. A Polícia precisa estar preparada para dialogar e para situações de crise. Não pode ir para o confronto, pois gera conflitos.

A OAB-CE repudia também a ação de vândalos, uma minoria que se infiltrou no movimento com o único objetivo de provocar a destruição. Para eles, o uso da lei. Para a entidade, é preciso que governo e polícia compreendam que se tratam de manifestantes, na maioria jovens, que estão indo às ruas exigir saúde e educação de qualidade, infraestrutura, segurança e tantos outros direitos assegurados em nossa Constituição Cidadã, mas que não foram implementados.”


Curtir:


One thought on “Ceará: OAB lança nota em que repudia uso de bala de borracha em manifestações

  1. Onde estão as comissões da OAB – Direitos Humanos principalmente, que não fazem nada a respeito das ilegalidades e arbitrariedades cometidas nas manifestações?

Comments are closed.