Bastidores

Ciro começa a trabalhar na iniciativa privada em Fevereiro

Em entrevista, Ciro já havia antecipado, no final de 2014, que analisava propostas da iniciativa privada
Em entrevista, Ciro já havia antecipado, no final de 2014, que analisava propostas da iniciativa privada

O ex-ministro e ex-secretário de Saúde, Ciro Gomes (Pros), deve começar a trabalhar na Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) a partir de fevereiro, em São Paulo. A informação foi confirmada ao Estadão pela assessoria de Ciro. O cargo que ele irá ocupar, no entanto, ainda não foi divulgado.

Em entrevista ao programa Hora K, ainda no final de 2014, Ciro já havia admitido que estava analisando duas propostas da iniciativa privada no estado de São Paulo. A CSN era uma das opções.

“Pé de meia”
Na ocasião, Ciro disse que está preocupado em fazer seu “pé de meia”.

“Não tem nada fixo ainda, mas eu tô pensando em ganhar algum dinheiro. Pela primeira vez na vida estou começando a me sentir inseguro com relação ao futuro. E escrever. Eu tô com um livro novo na cabeça sobre o Brasil e acredito que o ano que vem, pelo menos, eu vou ocupar com essas duas tarefas. Vou fazer palestras sim, mas eu tenho duas propostas de trabalho na iniciativa privada e eu vou examinar, dependendo do salário. São ambas fora do Ceará. Vou ficar com muita saudade, mas, pelo menos por um ano, eu preciso ganhar algum trocado”, revelou. Por cada palestra, Ciro diz que recebe cerca de R$ 15 mil, líquidos.

Acompanhe a entrevista completa com Ciro Gomes, clicando aqui. 

Relação antiga
Formado em Direito e com passagem pelo comando do Ministério da Fazenda durante o governo Itamar Franco, Ciro tem uma relação antiga com o presidente da CSN, Benjamin Steinbruch. Na campanha eleitoral de 2002, em que foi candidato a presidente pelo PPS, por exemplo, ele usou um jatinho de uma das empresas do Grupo Vicunha, de Steinbruch.

Política
Com a ida para a iniciativa privada, Ciro deve se afastar um pouco da política nacional e do Ceará, onde ele e o irmão, o atual ministro da Educação e ex-governador do Estado, Cid Gomes (Pros), são lideranças de destaque. O afastamento da política também dá uma esfriada nos rumores que circulam no bastidores de que Ciro pretendia disputar a Presidência da República em 2018.

Com informações do estadao.com, na reportagem assinada por Igor Gadelha


Curtir: