Eleições 2014

Ciro Gomes vota em Fortaleza e aposta na liderança de Camilo

Ciro Gomes vota em Fortaleza e aposta na liderança de Camilo. Foto: Tiago Stille/O Estado
Ciro Gomes vota em Fortaleza e aposta na liderança de Camilo. Foto: Tiago Stille/O Estado

O secretário estadual de Saúde, Ciro Gomes, votou na manhã deste domingo (05), na Secretaria de Saúde do Ceará, demonstrando confiança na escolha do eleitor cearense. “Meu estado de espírito é que o Camilo vai para o segundo turno, inclusive chegando em primeiro lugar”, afirmou.

Capital e interior
Segundo o secretário, no Interior do Estado a vantagem é de Camilo Santana. “No interior eu sei com muita consistência, pois é simples de ver. Aqui, na Capital, nós temos um relativo equilíbrio e a região Metropolitana está completamente assimétrica. De maneira que esse conjunto de resultados nos dá essa segurança”, avaliou.

Corrida presidencial
Sobre a disputa para a presidência da República, Ciro Gomes afirmou que Dilma Rousseff tem ampla vantagem. “Aqui no Ceará, a Dilma vai ter perto de dois terços dos votos. Para mim é pouca novidade porque o Aécio representa organicamente o outro lado. A Marina é uma tentativa moralista, difusa-nova política, que são valores corretos inspirados por uma imensa quantidade de pessoas que já votou em mim, que é de classe média, escolarização alta, de exigência moral mais sofisticada, que está farta das práticas iguais do PSDB e do PT”, observou.

Denúncias
Ciro Gomes respondeu às indagações dos jornalistas sobre denúncias de práticas irregulares durante todo o dia. “Hoje nós estamos com uma queixa de que uma fração da máquina pública está despudoradamente engajada na campanha, que é ninguém menos que uma fração da Policia Militar”, denunciou.

Fora do expediente
O secretário reforçou que participou da campanha de Camilo e Mauro sem prejuízo de seu trabalho. “Não fiz um ato de campanha sequer durante o expediente, tenho trabalhado quase 14,18 horas por dia. Por isso, foi possível, por exemplo, universalizar o Samu, inaugurar 25 UPAs, 19 Policlínicas, 19 CEOs”, arrematou.


Curtir: