Câmara dos Deputados

Comissão da Câmara ouvirá explicações sobre furto de documentos nos jogos olímpicos de Londres

Logomarca Olimpíadas 2016 – Divulgação/Governo do Rio de Janeiro

A Comissão de Turismo e Desporto realizará audiência pública para ouvir o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, e funcionários demitidos pelo Comitê dos Jogos Rio 2016. O objetivo é esclarecer o episódio do furto de documentos sigilosos ocorrido durante os Jogos Olímpicos de Londres 2012. Ainda não há data marcada para a audiência.

Acesso
Logo após o incidente, Nuzman explicou que os funcionários de diversas áreas do Rio 2016 acessavam a rede do Comitê Olímpico Organizador dos Jogos de Londres (Locog – sigla em inglês) e podiam ler os documentos. Porem, só podiam fazer cópia dos arquivos com autorização do funcionário do comitê. “A proibição de cópias não autorizadas estava claramente expressa na cláusula de confidencialidade, que constava no contrato que os funcionários de 2016 assinaram com o Locog”, completou.

Demitidos
Nas explicações dadas pelo dirigente do COB, o grupo de nove demitidos participava de uma lista de 24 funcionários da organização dos jogos de 2016, de um total de 200 que foram a Londres, que trabalharam conjuntamente com o Locog. No comunicado lido, Nuzman apenas indicou que os demitidos trabalhavam diretamente para Henrique Gonzalez, diretor de recursos humanos do COB, e Elly Resende, gerente geral de tecnologia do comitê.

Pra esclarecer
A audiência foi solicitada pelo deputado Romário (PSB-RJ), que acredita que os depoimentos podem ajudar a esclarecer os fatos. “A ideia é ofertar a chance para o ex-funcionário expor aos parlamentares suas justificativas e para explicar que tipo de informações teriam sido furtadas dos organizadores daqueles jogos, e em que circunstâncias”, explicou o deputado.

Convidados
Foram convidados para a audiência: a tradutora do Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016, Renata Santiago; o membro executivo do Comitê Olímpico Internacional (COI) e coordenador dos Jogos Rio 2016 Patrick Hickey; e o gerente do Programa de Voluntários do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo 2014, Rodrigo Hermida.

Preparativos
Romário acrescentou que é preciso esclarecer o povo brasileiro sobre os preparativos do evento. “Eu acredito que a presença dessas pessoas na comissão é de suma importância exatamente para que a gente possa ter uma noção das coisas que vão acontecer pela frente.” O presidente do Comitê Paraloímpico Brasileiro, Andrew Parsons, também deve vir à Câmara. Romário quer que Parsons faça um balanço da participação do Brasil nos Jogos Paraolímpicos de Londres e fale sobre o planejamento para 2016.

Ingressos
Na audiência também serão questionados os critérios de concessão e distribuição dos ingressos a serem vendidos para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

O irlandês Patrick Hickey, segundo Romário, estaria envolvido no escândalo de vendas de ingressos dos Jogos de Londres 2012. De acordo com o deputado, o filho de Patrick Hickey trabalha em uma empresa que venderá os ingressos dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. “Ele faz parte da parte do Comitê no que se refere a ingressos. Já sabemos que ele já esteve envolvido, alguns anos atrás, com algum escândalo desses e, a partir do momento que eu soube também que ele estaria, junto com o COB nas vendas desses ingressos, eu, como brasileiro principalmente, e hoje também como deputado, o convoquei para que ele possa explicar o problema que ele esteve envolvido há alguns anos e o que ele tem a ver, definitivamente, com as vendas desses ingressos para as Olimpíadas de 2016.”

Com informações da Agência Câmara de Notícia


Curtir: