Polêmica

Conflitos indígenas: Em meio à crise, presidente da Funai deixa o governo

Marta Azevedo, ex-presidente da Funai; ela deixou o cargo em meio a uma crise que opõe índios e fazendeiros e gera protestos. Foto: Agência Brasil
Marta Azevedo, ex-presidente da Funai; ela deixou o cargo em meio a uma crise que opõe índios e fazendeiros e gera protestos. Foto: Agência Brasil

Em meio à maior crise indígena do governo Dilma Rousseff, a presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), Marta Azevedo, deixou o cargo na tarde desta sexta-feira (7). Segundo o governo, ela pediu demissão por problemas de saúde. Em abril, antes de a crise começar, Azevedo começou a pedir sucessivas licenças médicas.

Descontentes
A Folha.com apurou que, independentemente do problema de saúde, havia um descontentamento de setores do governo com a atuação da Funai nos últimos meses. A atual diretora de Promoção ao Desenvolvimento Sustentável, Maria Augusta Assirati, assume interinamente a Funai a partir da próxima segunda-feira. Ela é uma das favoritas para o assumir o posto definitivamente.

Invasão e Morte
Azevedo deixa o cargo oito dias depois de um índio terena morrer durante reintegração de posse coordenada pela Polícia Federal e motivada por uma decisão judicial anterior. A ação aconteceu na Fazenda Buriti, em Sidrolândia (MS), distante 72 km de Campo Grande. A terra foi invadida novamente depois. Um segundo índio foi baleado e hospitalizado.

E ainda
Em maio, a ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) chegou a criticar publicamente a política de demarcação de terras indígenas promovida pela Funai.

Com informações da Folha.com


Curtir: