Congresso

Congresso aprova Orçamento para 2012 e servidores ficam sem reajuste

Congresso Nacional

Depois de um dia de impasse, o Congresso aprovou o Orçamento da União para 2012. O texto foi aprovado por deputados e senadores às 23h50 da quinta-feira, a dez minutos do prazo final, que acabava à meia-noite.

Em números
A proposta prevê crescimento dos investimentos públicos em 13,2% em relação ao projeto original do Poder Executivo – passando de R$ 164,7 bilhões para R$ 186,5 bilhões. A matéria será enviada à sanção presidencial. Já as ações sociais e os pequenos municípios brasileiros, com até 50 mil habitantes, foram beneficiados com emendas para saúde e saneamento.

Sem reajuste
Antes da votação da matéria, por volta de 23h20, os parlamentares criaram as condições políticas para que o presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), desistisse de derrubar a sessão e de impedir a votação do Orçamento.

Acordo
O acordo foi de que a presidente deverá divulgar carta se comprometendo a abrir negociações com os aposentados sobre uma política de valorização permanente dos benefícios. Mas, de concreto, o Orçamento da União não prevê reajustes para os servidores do Poder Judiciário e nem aumento real (acima da inflação) para os aposentados que ganham acima do salário mínimo.

“Não é fácil o que vou dizer aqui, nem todos os líderes dos aposentados concordaram. A retirada do pedido de verificação de quorum, desde que fique claro que a presidente vai responder à carta da Cobap (associação dos aposentados)”, disse Paulinho, sendo aplaudido pelos colegas.

Recesso
Em seguida, a sessão foi encerrada. O Congresso entra em recesso nesta sexta-feira. O projeto da lei orçamentária vai à sanção da presidente Dilma Rousseff.

Com informações da Agência Câmara e do O Globo