Fortaleza

Conselho de Ética: Vereadores denunciados pelo MP serão investigados pela Câmara?

Vereador também protagonizou escândalos em 2012. Na época de uma das denúncias, Leonelzinho chorou durante sessão da Câmara e disse que não sabia que esposa recebia verba do Bolsa Família. Foto: Reprodução da TV Jangadeiro
Vereador também protagonizou escândalos em 2012. Na época de uma das denúncias, Leonelzinho chorou durante sessão da Câmara e disse que não sabia que esposa recebia verba do Bolsa Família. Foto: Reprodução da TV Jangadeiro

O Conselho de Ética da Câmara Municipal de Fortaleza, que teve sua composição anunciada nesta semana, deve contribuir, ao menos no aspecto simbólico, para a transparência exigida do poder público. Mas a criação do colegiado já levanta algumas dúvidas:

A praxe dos Conselhos de Ética do poder Legislativo é só agir quando são provocados. Mas agora que a Câmara de Fortaleza tem o seu, resta aguardar para saber se denúncias recentes envolvendo vereadores serão investigadas pelo colegiado.

Vamos aos exemplos
O vereador Leonelzinho Alencar (PTdoB) foi acusado pelo Ministério Público no ano passado por prática de nepotismo. O próprio parlamentar, a esposa, o pai, uma irmã, tios e primas estavam empregados indevidamente na prefeitura de Fortaleza na gestão Luizianne Lins.

Pesa ainda contra ele a acusação de que estaria envolvido num esquema de beneficiamento através do Bolsa Família. A mulher dele, Adriana Bezerra Alencar, recebeu indevidamente, por quase um ano, o benefício do Governo Federal. O caso ainda está sendo investigado pelo Ministério Público (MP) Federal.

Condenação
Na segunda-feira (24/06), Leonelzinho recebeu a primeira condenação em meio aos diversos processos que responde judicialmente. Ele foi condenado por conta do furto do material de campanha do PSDB durante as eleições de 2010. O parlamentar foi o mandante do roubo de banners da legenda tucana, o que ficou provado após investigação da Polícia Civil e sentença da 6ª Unidade do Juizado Especial Cível e Criminal de Fortaleza.

Leia ainda:
Vereador Leonelzinho Alencar é condenado por furto de bicicletas

Expulso
Na manhã da eleição, os banners afixados em bicicletas desapareceram. Uma parte do material furtado – 14 banners – foram encontrados em um galpão no fim de 2011. Estavam pintados com as cores do Fortaleza Esporte Clube, time do qual vereador Leonelzinho era diretor de Futsal. Ele foi expulso por Osmar Baquit, presidente do Fortaleza, depois do ocorrido.

Mensalão
Outro implicado com caso de suposto desvio ético é o vereador Adail Júnior (PV), 2º vice-presidente da Câmara Municipal. Ele teve o nome citado no ano passado num procedimento iniciado pelo Ministério Público que investiga a existência de um possível “mensalão” na Câmara Municipal de Fortaleza, envolvendo justamente a liberação de verbas orçamentárias municipais para vereadores que apoiavam a gestão da então prefeita Luizianne Lins.

Segundo a denúncia, um dos beneficiários com o esquema seria Adail Junior. Ele apresentou uma emenda orçamentária que alcançou a soma de 1,4 milhão de reais, dos quais um 1,2 milhão seria destinado à associação Casa do Povo, no bairro Antônio Bezerra, reduto eleitoral do vereador.

Nem suplente escapa
Outro encrencado é o suplente de vereador Irmão Léo (PHS). Ele enfrenta acusações de sonegação fiscal, crime de improbidade administrativa e fraude que estão sendo apuradas pelo Ministério Público.


Curtir: