Nacional

Contas Abertas: Empresas vencedoras do leilão de aeroportos terão que investir R$ 6 bi

Contas Abertas: Empresas vencedoras do leilão de aeroportos terão que investir R$ 6 bi
Contas Abertas: Empresas vencedoras do leilão de aeroportos terão que investir R$ 6 bi

A consulta pública do edital de concessão dos quatro aeroportos que o governo pretende licitar até o final deste ano – Porto Alegre; Florianópolis; Salvador; e Fortaleza – termina no próximo dia 20.

Segundo o Relatório de Infraestrutura de maio, divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o preço mínimo das outorgas é de R$ 4,107 bilhões. Os grupos vencedores do leilão terão ainda que fazer investimentos de R$ 6,042 bilhões na melhoria dos aeroportos.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) prevê um aumento significativo de passageiros nestes aeroportos até 2046 quando termina o prazo da concessão. O movimento de passageiros nos quatro aeroportos deverá mais do que triplicar, subindo dos atuais 27,4 milhões para R$ 98,1 milhões.

Curto prazo
No curto prazo, com a crise econômica no país, a tendência é de queda. Tanto a demanda e a oferta de transporte aéreo continuam caindo, conforme dados da própria agência. A demanda por voos em abril foi 12,2% menor do que a verificada no mesmo mês de 2015. Este é o nono mês consecutivo de queda. As tarifas aéreas, segundo a Anac, variam conforme o mercado e as empresas estão fazendo promoções para tentar segurar os passageiros.

Oferta
A oferta de assentos pelas empresas aéreas teve redução pelo oitavo mês consecutivo. Ela caiu em 10,3% em abril, em relação ao mesmo mês de 2015. Foram transportados 6,8 milhões de passageiros, uma queda de 13,7% comparada com o mesmo mês do ano passado. A ocupação das aeronaves ficou em 79,1%. A TAM e a Gol mantiveram na liderança do mercado doméstico, mas a companhia que apresentou crescimento da demanda doméstica em abril em relação ao mesmo mês de 2015 foi a Avianca.

O mercado de cargas se manteve estável, um aumento de apenas 0,2%, transportando 28,8 milhões de toneladas em abril deste ano. A crise econômica também atingiu o mercado internacional onde houve redução de 4% na demanda por voos, enquanto a oferta de assentos caiu ainda mais, 6,8%, no mês passado em relação a abril de 2015.

Rodovias
O transporte rodoviário está ganhando fôlego com a queda de demanda na aviação. Segundo a “Sondagem do Consumidor – Intenção de viagem”, do Ministério do Turismo, em abril deste ano 15,9% dos brasileiros que deverão viajar nos próximos seis meses, pretendem utilizar ônibus. No mesmo do ano passado, eram 7,2%. O percentual de pessoas que deverão usar o avião caiu de 64,4% em abril de 2015, para 58,1%. A Sondagem entrevistou 2 mil domicílios em sete capitais: Salvador, Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília e Recife. Frota de ônibus interestaduais e internacionais é de 19.923, que transportam 9,9 milhões de passageiros/ano.

Transporte ferroviário de carga
Outro setor que está crescendo, apesar da crise econômica, é o de transporte ferroviário de cargas. Em março de 2016 foram transportados 41,5 milhões de toneladas úteis (TUs), um aumento de 8% em comparação ao mesmo mês do ano passado, que chegou a 38,4 milhões de TUs. O principal produto transportado este ano foi o minério de ferro, que representou 77% do total.

Com informações do portal Contas Abertas


Curtir: