Pesquisa

Datafolha: Popularidade de Alckmin cai; 40% rejeitam Haddad

Datafolha: Popularidade de Alckmin cai; 40% rejeitam Haddad
Datafolha: Popularidade de Alckmin cai; 40% rejeitam Haddad

Não foi apenas a popularidade da presidente Dilma Rousseff que acabou corroída pela onda de protestos que tomou o país. O movimento abalou os índices de aprovação dos governadores dos dois maiores Estados do país: Geraldo Alckmin (PSDB), de São Paulo, e Sérgio Cabral (PMDB), do Rio; e ainda dos prefeitos das duas maiores cidades: Fernando Haddad (PT), o titular da capital paulista, e Eduardo Paes (PMDB), da capital fluminense.

Queda
Todos os dados são da pesquisa Datafolha finalizada na sexta-feira passada. A aprovação de Alckmin caiu 14 pontos no intervalo de três semanas –Dilma perdeu 27 pontos no mesmo período. Os 52% de avaliação positiva do tucano em 7 de junho, pouco antes do início dos protestos, foram reduzidos para 38% na pesquisa recente.

Veja também:
Datafolha: Popularidade de Dilma cai 27 pontos após protestos

Haddad
Abalo ainda maior foi sentido por Haddad, cuja administração tem só seis meses. Seu índice de aprovação caiu 16 pontos em três semanas, de 34% para 18%. A reprovação do petista (soma dos julgamentos ruim e péssimo) subiu de 21% para 40%.

Vantagem de governador diminui em SP
A onda de protestos populares que começou em São Paulo pela redução das tarifas do transporte diminuiu a vantagem do governador Geraldo Alckmin (PSDB) sobre seus potenciais rivais na corrida pelo Palácio dos Bandeirantes em 2014, segundo pesquisa Datafolha.

O tucano, que pretende se candidatar à reeleição, caiu nos quatro cenários investigados pelo instituto. Conforme os adversários colocados no cartão da pesquisa, a queda do governador oscila de 8 a 13 pontos percentuais. Apesar disso, não há um adversário de Alckmin que tenha crescido de forma expressiva durante as semanas de manifestações.

No Rio: Oposição a Sérgio Cabral lidera pesquisa
Os pré-candidatos de oposição ao governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), lideram os dois cenários da primeira pesquisa de intenção de voto feita pelo Datafolha para a sucessão no Estado, que ocorre no ano que vem.

No primeiro cenário, o senador Lindbergh Farias (PT), com 17%, o deputado e ex-governador Anthony Garotinho (PR) e o vereador e ex-prefeito Cesar Maia (DEM), ambos com 15%, estão à frente, empatados tecnicamente.

Com informações da Folha de S. Paulo


Curtir: