Polêmica
Atualizado em: 26/04/2011 - 9:21 am

Cesar Asfor diz que o ex-presidente Lula espalhou boatos e que estaria falando "coisas absurdas" a respeito do magistrado.

A notícia foi publicada na semana passada e dá conta dos motivos que teriam levado o ex-presidente da República, Luis Inácio Lula da Silva, a desistir da indicação do cearense Cesar Asfor Rocha para o Supremo Tribunal Federal (STF). De lá para cá, pouco se falou sobre o assunto e o que é mais absurdo, as autoridades ligadas ao Palácio do Planalto parecem fazer questão de ignorar o caso. Tudo gravíssimo.

A denúncia
De acordo com a revista Veja, Lula chegou a receber Cesar Asfor, então presidente do Superior Tribunal de Justiça, em reunião, em que teria comunicado que o havia escolhido para a vaga que seria aberta no STF. Dias depois, o presidente da República teria sido informado de que o ministro Asfor havia pedido propina, de R$ 500mil, para decidir em favor de uma empresa no STJ.

 A informação teria sido passada a Lula pelo advogado Roberto Teixeira,  compadre do ex-presidente. Lula teria espalhado o boato. Cesar Asfor confirmou todas as informações à revista, inclusive sobre a “fofoca” do então presidente.

Só no discurso
Na terça-feira passada, 19 de abril, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) até chegou a afirmar, em plenário, que o Senado precisa apurar as denúncias.

“Nós temos que buscar esclarecimentos, até porque isso envolve um ex-presidente da República. É espantoso, se o fato for verdadeiro, saber que o presidente da República, ao tomar conhecimento dele, não tomou nenhuma providência”, declarou Alvaro Dias, ao defender a inocência de Cesar Asfor.

Polêmica
O pronunciamento foi contestado e até gerou discussão em Plenário.

“Tudo o que o senhor fez aqui, desde o início da sua fala, foi um juízo de valores. O senhor começou acusando o presidente Lula, fazendo ilações sobre uma matéria que disse que alguém disse que outro disse. Não tem nenhuma prova no material que o senhor leu”,disse  o senador petista Gleisi Hoffman (PR) .

E aí?
E hoje? Mais de uma semana depois, o que aconteceu? Qual ação foi a ação efetivamente adotada para investigar e chegar a uma resposta em relação a este caso? Nada. Ou quase nada.

A imprensa pouco explorou o tema e a atual presidente da República, Dilma Rousseff, não se envolveu no assunto quando deveria mostrar rigor no pedido de apuração do caso que, repito, é gravíssimo. 

Asfor nega que tenha vendido o voto (e realmente votou contra a empresa, quer dizer, se vendeu, não cumpriu o acordo). O magistrado diz que tomou conhecimento das acusações por intermédio de um colega. 

“Ele me disse que soubera de amigos do Palácio do Planalto que o presidente (Lula) estava falando coisas absurdas a meu respeito.”, disse Asfor.

Verdade ou Mentira
Se  for verdade, Lula tem como compadre um corruptor que relatou o crime que acabara de cometer, ao presidente da República.

Olha isso: o advogado teria contado a Lula que tentou comprar o voto de um ministro do STJ. É ou não é absurdo?!

Se for mentira, Asfor estaria levantando uma calúnia que envolveria o então presidente da República. O que também seria absurdo e mereceria apuração, afinal um ministro do STJ não pode fazer uma acusação desse nível contra a maior autoridade do país e deixar por isso mesmo.

Investigação
O debate parece ter ficado só nisso. Pronto. Acabou? Talvez, mas o senador tucano ainda quer que a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) convoque os envolvidos para prestar depoimento.

O cearense Eunício Oliveira é o presidente da CCJ do Senador e ainda não se manifestou sobre o assunto. 

O jeito agora é aguardar para saber se mais esse absurdo, como tantos outros, vai ficar sem resposta.

Com informações da Agência Senado

Siga-nos e curta-nos:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me