Ceará

Deputadas reivindicam espaço na Mesa Diretora da Assembleia

Eliane Novais levou o assunto para a tribuna da AL. Foto: Máximo Moura/AL
Eliane Novais levou o assunto para a tribuna da AL. Foto: Máximo Moura/AL

As articulações para a composição da nova Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Ceará devem ter novamente um esforço da ala feminina para incluir uma representante.

Na próxima legislatura, sete mulheres devem fazer parte do Poder Legislativo a partir de janeiro de 2015. Mesmo com a pressão das parlamentares, em anos anteriores, a participação das mulheres nas decisões do parlamento cearense sempre foram pífias.

Mesa
Apesar de estar deixando a Assembleia no final deste ano, a deputada Eliane Novais (PSB), que pleiteou o Governo do Estado na última eleição, cobrou durante seu pronunciamento na tribuna, uma adaptação do regimento interno da Casa para assegurar pelo menos uma vaga para cada gênero na Mesa Diretora. A deputada lembrou que, juntamente com as deputadas que fazem parte da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Mulher, elaborou um projeto de resolução que propõe essa adaptação e que está em tramitação na Casa.

Para Eliane, a próxima disputa pela Presidência da Assembleia seria uma oportunidade para a Casa avançar no que diz respeito à equidade de gênero. “A Assembleia tem um papel educativo e um importante papel político a cumprir no que diz respeito à participação feminina nos espaços de decisão”, reforçou.

Bancada
As deputadas Mirian Sobreira (Pros) e Fernanda Pessoa (PR) reforçaram a reivindicação de Eliane, pontuando que não encontram representatividade na atual Mesa Diretora da Casa e que, apesar de alguns avanços, como a Procuradoria da Mulher, a Frente Parlamentar da Mulher e a presidência de algumas comissões técnicas, a Mesa Diretora ainda carece da sensibilidade feminina. Fernanda Pessoa e Bethrose (PRP) ainda destacaram a importância de quebrar a tradição da composição totalmente masculina da Mesa.

Mesmo aumentando de seis para sete membros, a bancada feminina registra número insatisfatório para a proporção de mulheres do Estado, que são 52% do eleitorado.

Composição
Irão compor a bancada feminina a partir de 2015 as seguintes mulheres: Fernanda Pessoa, Mirian Sobreira, Bethrose, Aderlania Noronha (SD), Augusta Brito (PCdoB), Lais Nunes (Pros) e Dra. Silvana (PMDB). A eleição da nova Mesa já mobiliza articulações internas nos partidos. Diferentemente da Câmara, onde vagas na Mesa são disputadas individualmente por cargo, o núcleo da Assembleia é pleiteado em chapas de dez membros, o que força um consenso que, no entanto, não é regra.

Voto Secreto
Ainda durante seu pronunciamento de ontem, Eliane cobrou o fim do voto secreto na Assembleia. A parlamentar é autora de uma PEC que tramita desde 2012 que visa extinguir a ferramenta do voto secreto em todas as votações da Casa.

O deputado Danniel Oliveira (PMDB) também apresentou uma proposta de teor semelhante. “Pelo menos 10 casas legislativas estaduais e 100 câmaras municipais já adotam a ferramenta do voto aberto”, ressaltou.

Com informações do OE


Curtir: