Ceará

Deputado cobra instalação de CPI para investigar denúncias na Federação Cearense de Futebol

João Jaime cobra instalação de CPI para investigar denúncias na FCF
João Jaime cobra instalação de CPI para investigar denúncias na FCF

O deputado João Jaime (PSDB) cobrou nesta quinta-feira (07/03), durante sessão da Assembleia Legislativa, a instalação da Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) para investigar as denúncias de irregularidades envolvendo o presidente da Federação Cearense de Futebol (FCF), Mauro Carmélio.

“Peço à Mesa Diretora para que se efetive a CPI solicitada ano passado e que coletou 33 assinaturas e não se concretizou. A impunidade gerada pela falta da CPI fez com que outros atos fossem praticados”, afirmou, argumentando que o apelo é “para que a gente não entre numa Copa das Federações e numa Copa do Mundo mostrando para o Brasil um lado negativo do futebol do Ceará”.

Ilegal
O parlamentar disse que, na tentativa de se reeleger, o presidente da FCF usa de artifícios não legais, como a mudança do edital. Segundo ele, há a necessidade de 25% das assinaturas para registrar uma candidatura, só que antes de marcar as eleições ele coletou a assinatura de 50 membros, fazendo com que só tenha um candidato a eleição. “É um absurdo isso. Não se permite mais a condição de ter aqui no Ceará uma entidade tão retrógrada, em que os mais poderosos e os que detêm o poder oprimem aqueles que queriam concorrer”, criticou.

Eleição
Ele ressaltou que o adiamento da data da eleição da FCF, que deveria ocorrer na última sexta-feira (1), por parte da Justiça, seria em decorrência de dúvidas que pairam em torno da forma como a Federação é conduzida.

Transparência
Ainda de acordo com o parlamentar, não há transparência na Federação, que já foi condenada por duas vezes pela CBF e Superior Tribunal de Justiça Desportivo com uma multa de R$ 20 mil por evasão de renda. “O Flamengo esteve aqui para jogar com o Ceará e foi constatada a evasão de renda; além de desvio de recursos que a Federação desconta dos clubes para causas trabalhistas e não paga”, denunciou.

Ditadura?
Em aparte, o deputado Idemar Citó (DEM) reiterou as irregularidades em relação à postura do presidente da instituição, defendendo reforma no futebol. “Ele quer se perpetuar no poder, isso é ditadura. Dr. Mauro Carmélio, vamos concorrer pelo princípio da igualdade, de pau a pau. O que está fazendo é uma ditadura”, contestou.

Pq não?
Sem querer entrar em juízo de valor, o deputado Heitor Férrer (PDT) disse que não entende por que a CPI não foi instalada, já que havia assinaturas suficientes. Na mesma linha afirmou o deputado Lucílvio Girão (PMDB): “assinei a CPI aqui e cadê a CPI?”, questionou.

Com informações da AL


Curtir: