Ceará Polêmica

Deputado diz que proposta de Cid é ditatorial e que “governador quer sitiar a cidade”

Cid Gomes, governador do Ceará. Foto: Kézya Diniz

O deputado Heitor Férrer (PDT) criticou, na sessão plenária desta quinta-feira (11/08) da Assembleia Legislativa, a mensagem de autoria do Governo do Estado que cria a área de segurança permanente e transitória do Ceará. A matéria deu entrada na Casa na última terça-feira (09/08) e encontra-se em análise na Procuradoria e Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR).

Na opinião do pedetista, o texto é inconstitucional.

“Se aprovarmos, estaremos sitiando áreas onde o governador está. O governador quer sitiar a cidade. Essa é uma prática de regime ditatorial. Uma democracia não permite tamanha atrocidade; tamanho isolamento do governante. O Governo está se encastelando. Bem diferente da época em que vai às praças pedir voto”, atacou.

Área
Conforme a mensagem, a área de segurança corresponde a “todo espaço físico que se faça necessário para procedimentos de segurança institucional à sede do Governo e à locomoção e segurança ao Governador e autoridades públicas”. Dessa forma, o Executivo fixa como permanente a área de segurança no entorno do Palácio da Abolição e Residência Oficial. Ao norte, o limite seria a avenida Abolição; ao sul, a rua Costa Barros; a leste, a rua Nunes Valente; e, a oeste, a avenida Rui Barbosa.

Já o perímetro de 250 metros do local onde se encontrar o governador em eventos públicos seria considerado área de segurança transitória. A proteção ao chefe de Estado será de competência da Casa Militar, que poderá requisitar o apoio da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) também poderá ser convocado para apoio operacional.

Devolução
Heitor Férrer disse que solicitará a devolução da matéria ao Executivo.

“Isso é uma petulância. É querer constranger o Poder Legislativo para atender aos caprichos do governante. E esse Poder não pode ficar a mercê do humor do governante. A Assembleia não pode legitimar isso”, considerou.

Ele recebeu o apoio dos deputados Fernando Hugo (PSDB) e Roberto Mesquita (PV).

“Nem a rainha da Inglaterra tem isso. Isso é dar uma tapa na popularidade que vocês (irmãos Ferreira Gomes) adquiriram durante 20 anos”, citou o tucano.

“Área de segurança num estado sem incidência de atos terroristas? Acho um exagero. Tentam preservar a imagem do governador, mas criaram uma situação embaraçosa”, acrescentou Mesquita.

Com a Agência de notícias da AL


Curtir:


3 thoughts on “Deputado diz que proposta de Cid é ditatorial e que “governador quer sitiar a cidade”

  1. Prezada Kezya

    Esta não ê postura de um governante socialista. Não saber conviver com as manifestações populares e o contraditório ê não ter capacidade política de um dirigente.Os professores, servidores do DETRAN, policiais civis e militares querem negociar e não zona de proteção do rei.

  2. A INSTALAÇÃO DA ZONA MILITARIZADA DE EXCLUSÃO NAS CIRCUNVIZINHANÇAS DO PALÁCIO DA ABOLIÇÃO REMEMORA OS DOURADOS ANOS DO REGIME MILITAR; RETIRAR O DIREITO DE IR E VIR DOS TRABALHADORES DAS LOJAS, CLÍNICAS, ETC. É DEMONSTRAR UM DESPOTISMO REFINADO, POIS PREJUDICA OS COMPONENTES DAS PEQUENAS ELITES.
    INDEPENDENTE DE CLASSE SOCIAL, O POVO, SERVIDORES PÚBLICOS e AS PEQUENAS ELITES, TODOS DEVERÃO SE SUBMETER AOS CAPRICHOS INCONSTITUCIONAIS DO NOSSO EL CID.

  3. art 5º XVI – todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao
    público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra
    reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido
    prévio aviso à autoridade competente;

Comments are closed.