Bastidores

Deputados cearenses pressionam por afastamento de Cunha

Danilo Forte diz que acompanhará decisão do Conselho de Ética, no caso de pedido de cassação de Cunha
Danilo Forte diz que acompanhará decisão do Conselho de Ética, no caso de pedido de cassação de Cunha

A revelação de mais detalhes das contas na Suíça do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), aumentaram a pressão política para que ele deixe o comando da Casa. Nos últimos dias, ele perdeu o apoio de partidos de oposição, como o PSDB, principal responsável por mantê-lo no cargo até agora.

“O PSDB nunca apoiou a permanência do deputado Eduardo Cunha na presidência da Câmara Federal depois que ele teve acusações de receber dinheiro ilícito e, agora, que o caso está nas mãos da Comissão de Ética o partido ficou mais afastado ainda”, assegurou o tucano Raimundo Gomes de Matos, observando que a defesa de Cunha é frágil.

O parlamentar, por sua vez, disse esperar que o Senado deixe a Comissão de Ética fazer o seu trabalho sem qualquer intervenção, lembrando que o presidente da Casa é correligionário de Cunha e também está envolvendo em ilicitudes. Gomes de Matos afirma que a expectativa agora é o relatório final da Comissão de Ética, pois, segundo ele, já foi comprovado a existência de dinheiro ilícito.

Renúncia
Para o tucano, Eduardo Cunha, tem que renunciar, até como forma de não prejudicar o andamento dos processos de impeachment que tramitam na Câmara contra a presidente Dilma Rousseff. Cunha, conforme Gomes de Matos, perdeu moral para questionar o Planalto.

Na mesma linha, o deputado Chico Lopes (PCdoB) defende o afastamento de Cunha. Para ele, o peemedebista já era para estar fora do cargo, seja por renúncia ou qualquer instrumento. Por outro lado, observa que a Câmara Federal é uma casa política com opiniões diferentes, onde cada parlamentar tem postura particular. Ele lembra ainda que alguns deputados foram eleitos com a ajuda de Eduardo Cunha e, por isso, esses, naturalmente, vão estar do lado dele defendendo o seu mandato que, agora, está nas mãos do Conselho de Ética.

Conforme o comunista, Cunha não está conseguindo provar sua inocência diante das acusações que surgem contra ele, como o recebimento de dinheiro ilícito, e, isso, já deve ser o suficiente para que ele seja expulso da vida parlamentar. O deputado analisa que o melhor para Eduardo Cunha seria renunciar ao cargo e ao mandato para resolver logo a questão.

Bastidores
O deputado Danilo Forte (PSB) foi mais cauteloso ao analisar o assunto. Entretanto, disse que, se a Comissão de ética deliberar pela cassação, acompanhará a decisão. “As denúncias tomaram dimensão muito grande e, no mínimo, causa constrangimento, tanto a ele quanto a Casa, que está sendo presidida por alguém investigado por atos ilícitos”, destacou, acrescentando que, por outro lado, não se pode negar a ampla defesa e o contraditório e, por isso, enquanto não houver deliberação ele não pode ser afastado do cargo, a não ser que Cunha renuncie.

Além disso, o socialista informou que, nos bastidores, o Governo está jogando para mudar o foco do debate. Antes, o centro do debate era o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Com informações do OE


Curtir: