Nacional
Atualizado em: 31/05/2011 - 6:53 pm

Foto: Agência Brasil

O governo federal decidiu que vai privatizar as operações aeroportuárias e a exploração comercial dos aeroportos de Cumbica (Guarulhos-SP), Viracopos (Campinas-SP) e Brasília (DF). A informação é do jornal O Globo, em matéria assinada por Geralda Doca. A reportagem segue abaixo.

Divisão
Os terminais serão administrados por Sociedades de Propósito Específico (SPEs), das quais 51% serão do setor privado – em disputa decidida por licitação – e 49% da Infraero.

Dilma
A presidente Dilma Rousseff apresenta neste momento os planos aos governadores dos estados com cidades que serão sedes de jogos da Copa do Mundo de 2014.

Modelo
As SPEs serão responsáveis pela ampliação e pela gestão dos aeroportos. Os detalhes do modelo de exploração dos aeroportos serão definidos pelas empresas de consultoria contratadas, que vão elaborar os editais de concessão.

Participação
A Infraero participará da modelagem e terá obrigações quanto à administração, ao investimento e ao quadro de pessoal. A participação da estatal nas SPEs não altera o plano de investimentos para os demais aeroportos.

Mais dois
Os estudos para a concessão dos aeroportos do Galeão e de Confins (BH) continuam.

Fonte: O Globo/com Blog do Noblat

Reprodução do Twitter do secretário Arialdo Pinho.

No Ceará
Através do twitter, o secretário chefe da Casa Civil do Governo do Ceará, Arialdo Pinho, reclamou do que considera “exclusão” dos estados do Nordeste no processo de privatização dos aeroportos.

O secretário questiona:  “Por que aeroportos do Nordeste não fazem parte??? Exclusão”.

Comento
O comentário é breve e segue a linha de questionamentos: 1) Porque a presidente da República, Dilma Rousseff, não defendeu a privatização dos aeroportos durante a campanha eleitoral de 2010? 2) Afinal, o instrumento de privatização é ou não eficiente de acordo com a cartilha dos que compõem o governo federal?

Sei que é redundante, mas não custa lembrar que as privatizações sempre foram utilizadas como bandeira ideologica para demonizar o ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso. 

Realidade
Na prática, a realidade se impõe ao discurso. Os aeroportos brasileiros não comportam a realização de um evento esportivo como a Copa do Mundo de Futebol. Fato: o poder público não pode bancar todos os investimentos. O jeito é pedir socorro da iniciativa privada. Agora é engolir o novo discurso e esperar sarar as feridas.

Futuro
Será que em 2014 ainda vai ter quem critique as privatizações? Fica a dúvida. Só o tempo dirá.

Siga-nos e curta-nos:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me