Dilma no Ceará

Dilma chega ao Ceará com aliança eleitoral indefinida

Dilma, em 2013, durante visita ao Ceará. Foto: Arquivo
Dilma, em 2013, durante visita ao Ceará. Foto: Arquivo

A presidente Dilma Rousseff (PT) desembarca no Ceará, na quarta-feira (19), para cumprir agenda pública com direito a festa, palanques e discursos de lideranças. Oficialmente, a visita será marcada por anúncios de iniciativas do governo federal, mas, nos bastidores, a manutenção da aliança entre PT, PMDB e Pros é o principal foco de atenção.

A agenda, aguardada com ansiedade por membros de partidos aliados no Estado, incluirá visitas a Fortaleza e a Sobral, reduto político do governador Cid Gomes, que figura entre os principais aliados do governo federal. Anteriormente, a informação era de que Dilma tinha planos para desembarcar em terras alencarinas apenas em abril, mas a visita foi antecipada a pedido do Palácio do Planalto.

Leia ainda:
Dilma confirma visita ao Ceará; Agenda inclui compromissos em Sobral e Fortaleza

Dois lados
Essa será a primeira visita da presidente ao Ceará tendo o senador Eunício Oliveira (PMDB) e o governador Cid Gomes na defesa de posicionamentos diferentes em relação à aliança que une os partidos da base de Dilma Rousseff. Ambos são defensores de palanque local para Dilma Rousseff, que tentará a reeleição nas eleições deste ano. Contudo, travam uma “disputa” pela indicação do candidato da aliança ao Palácio da Abolição.

PMDB
O PMDB trabalha com a perspectiva de Dilma e o ex-presidente Lula de apoiarem Eunício para o governo. Mas Cid Gomes não dá pistas de que possa abrir mão de indicar seu sucessor. No Estado, Dilma terá uma participação de mediadora na composição da chapa majoritária, principalmente entre membros do PT, Pros e PMDB.

PT
O PT nacional, porém, quer manter a aliança com o Pros no Ceará, devido, principalmente, à atitude do governador em de desfiliar do PSB, partido do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, ao ser definido com candidato à Presidência, em chapa de oposição a Dilma. Contudo, os petistas tentam controlar o impasse com o PMDB que poderá fechar alianças regionais com Aécio Neves e Campos em até 13 Estados, dentre eles, o Ceará.

Agenda
Na agenda, Dilma deverá ser acompanhada pelos ministros Francisco Teixeira, da Integração Nacional, e Tereza Campelo, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Em Fortaleza, eles vão oficializar a entrega de 172 máquinas agrícolas para 142 municípios.

Já em Sobral, o grupo anuncia a liberação de R$200 milhões para cisternas, sistemas de abastecimento, módulos sanitários, kits de irrigação entre outras ações do Programa Água para Todos e do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável PDRS/São José III.

Nos bastidores, a expectativa é que uma visita às obras do projeto de Transposição do Rio São Francisco, na cidade de Mauriti, seja incluída no roteiro da comitiva, porém, a assessoria de imprensa do Planalto não confirma a agenda. O roteiro em solo cearense foi articulado com o Palácio da Abolição.

Palanque
A visita da presidente ao Ceará faz parte da ofensiva de percorrer todo o País, com vista às eleições deste ano, quando tentará a reeleição.

Com informações do jornal O Estado


Curtir: