Nacional

Dilma deve analisar demissão coletiva de ministros ma próxima semana

Dilma deve analisar demissão coletiva de ministros ma próxima semana
Dilma deve analisar demissão coletiva de ministros ma próxima semana

O Planalto articula um movimento para esvaziar o gesto de Marta Suplicy, que, ao deixar o Ministério da Cultura, teceu críticas ao governo.

A seis dias do prazo sugerido pelo chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, para que os ministros, “por uma questão de gentileza”, entregassem as cartas de demissão à presidente Dilma Rousseff, pelo menos 15 integrantes do primeiro escalão, incluindo o próprio Mercadante, já redigiram o pedido de saída. Muitos deles, entretanto, devem continuar no cargo.

Análise
O pedido de demissão coletiva, que só será analisado por Dilma a partir da semana que vem, quando ela retornar da reunião do G20, na Austrália, tornou-se um contraponto à carta de Marta Suplicy, que criticou a condução da política econômica do governo. A demissão da senadora petista será publicada no Diário Oficial de nesta quinta-feira (13).

Explicações
Na quarta-feira (12), durante entrevista coletiva para tratar da pauta de competitividade da indústria, Mercadante explicou a ideia da demissão coletiva, alegando que a proposta surgiu de uma conversa dele com os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e do Planejamento, Miriam Belchior. “É uma forma de demonstrar publicamente esse espírito que foi a campanha da presidente Dilma, de uma equipe nova em um governo novo: todo mundo formalizar essa gentileza para ela (a presidente) ter total liberdade”, ponderou.

Retificação
Logo em seguida, Mercadante retificou o raciocínio, acrescentando que, mesmo sem esse “ato de gentileza”, a presidente tem toda liberdade para trocar a equipe ministerial. “Ela foi eleita, vivemos em um regime presidencialista e ela pode trocar o ministro que quiser quando achar oportuno. Mas é um gesto e, com todos os que conversei pessoalmente, foi entendido como uma gentileza. Um gesto de agradecimento e reconhecimento pela honra de ter participado deste governo”, emendou o chefe da Casa Civil.

Com informações das Agências


Curtir: