Articulação

Dividido, PT adia escolha de novo líder na Câmara. Cearense segue no páreo

Guimarães segue na disputa

Maior bancada da Câmara, com 85 deputados, o PT vai entrar na primeira semana do semestre legislativo sem a definição de quem será seu novo líder. Dois nomes permanecem na disputa. José Guimarães (CE) tem apoio do governo, enquanto Jilmar Tatto (SP), do presidente da Casa, Marco Maia.

A reportagem do Congresso em Foco mostra que as articulações para a escolha, que começaram no fim do ano passado, foram adiadas para 7 de fevereiro. Até lá, uma comissão formada por petistas terá a missão de conseguir unir os deputados em torno de um dos dois nomes que permanecem na disputa: Jilmar Tatto (PT-SP) e José Guimarães (PT-CE).

Reunião ocorrida na terça-feira (24) em Brasília definiu o adiamento da escolha para 7 de fevereiro. “Tivemos um papo com os deputados da nossa bancada para equacionar o tema da transição. Refletimos que o principal ativo da bancada é a sua unidade”, afirmou o atual líder da legenda na Câmara, Paulo Teixeira (SP).

Ele coordena um grupo de deputados encarregado de decidir quem vai comandar a bancada nos próximos anos. A conversa entre os petistas aconteceu antes da cerimônia no Palácio do Planalto, quando o governo liberava o ministro petista Fernando Haddad para disputar a eleição municipal em São Paulo.

Deputados ouvidos pelo Congresso em Foco repetem a palavra “unidade” à exaustão. Dentro da bancada, virou o mantra predileto. Em ano eleitoral, quando o Congresso deve ter uma pauta movimentada somente até julho, parlamentares ressaltam que, por ter o maior número de integrantes, a união será “fundamental para o sucesso” do governo de Dilma Rousseff.

Com informações do Congresso em Foco