Eleições 2012

Eleições 2012: Gonzaga e Renato Roseno marcam presença em ato dos servidores públicos federais

Candidato do PSTU, Francisco Gonzaga, na mobilização dos servidores públicos federais. Foto: Kézya Diniz/Via Instagram

Os candidatos do PSTU e do Psol na disputa pela prefeitura de Fortaleza participaram na manhã desta quarta-feira (11) do ato público promovido por servidores públicos federais, no Centro de Fortaleza.

Os trabalhadores revindicam realização de concurso público e melhorias salariais, entre outros pontos. A pauta vem sendo negociada a dois anos com o governo Dilma Rousseff (PT), mas segundo representantes da categoria, o governo “só enrola. Não é mais mesa de negociação, é mesa de enrolação”, disse um dos manifestantes.

PSTU
Francisco Gonzaga, do PSTU, foi o primeiro a chegar. Com a bandeira do partido em punho, o candidato se misturou aos manifestantes e seguiu em passeata pelas ruas do centro. “Onde tiver luta dos trabalhadores nós vamos estar”, disse o candidato.

Psol
Renato Roseno, candidato do Psol à prefeitura de Fortaleza, encontrou os manifestantes na praça do Ferreira. Ao lado de candidatos a vereador e militantes do partido, Roseno prestou solidariedade e apoio às reinvindicações dos trabalhadores. O vereador João Alfredo, candidato à reeleição e coordenador da campanha de Renato Roseno, também acompanhou a atividade.

Candidatos do Psol acompanham mobilização dos servidores públicos federais no Centro de Fortaleza. Foto: Kézya Diniz/Via Instagram

Harmonia
Psol e PSTU chegaram a ensaiar uma aliança eleitoral para a disputa pela prefeitura de Fortaleza em 2012, mas acabaram lançando candidaturas próprias. Mesmo assim, as duas legendas tem propostas semelhantes sobretudo no que diz respeito a valorização dos servidores públicos.

“Somos nós que estamos com esses trabalhadores durante todo o ano. Nós não fazemos política de dois em dois anos, não fazemos aquela  política tradicional que só aparece em 2008, 2010, 2012, em ano de eleição. Mesmo se não fosse ano eleitoral, nós estaríamos aqui”, ressaltou Renato.

 


Curtir: