Eleições 2012

Eleições 2012: Moroni inaugura comitê e diz que “tem moral” pra colocar ordem em Fortaleza

Eleições 2012: Moroni inaugura comitê e diz que “tem moral” pra colocar ordem em Fortaleza. Antes da entrevista, o candidato apresentou o comitê aos jornalistas. Foto: Kézya Diniz

O candidato do Democratas à prefeitura de Fortaleza inaugurou comitê central de campanha na noite de quarta-feira (25). Acompanhado do candidato a vice-prefeito, o médico Lineu Jucá (DEM), Moroni recebeu amigos e apoiadores da legenda em ritmo de confraternização. Em entrevista, o candidato disse que Fortaleza está “abandonada” e se apresentou como um candidato que “tem moral” pra colocar ordem na cidade.

“Eu tenho moral pra poder colocar, quem tiver pode dizer o mesmo. Mas eu tenho e eu posso colocar moral nessa cidade”,enfatizou para em seguida completar afirmando que “a cidade está abandonada em muitas áreas. É preciso tomar uma decisão e ter pulso firme para resolver os problemas daqui”, enfatizou.

Opa!
A empresa contratada para fazer o transporte de ônibus dos militantes para a inauguração do comitê de Moroni “confundiu a data”, segundo o candidato, e a movimentação ficou abaixo do esperado pelos próprios organizadores da festa. “Foi um imprevisto que já foi resolvido, daqui a pouco o povo tá chegando”, disse o candidato.

Perto das 20h, apoiadores da campanha foram chegando aos poucos e a inauguração oficial começou com cerca de um hora de atraso.

Prioridade
Na ocasião, Moroni Torgan reafirmou as principais propostas do plano de governo para a administração de Fortaleza e disse que temas como Saúde, Educação e Mobilidade Urbana devem receber atenção especial.

E daí?
Ainda durante entrevista, Moroni Torgan disse que não vai responder as críticas de adversários que afirmam que o democrata só aparece em Fortaleza em períodos eleitorais.

“O povo de Fortaleza me conhece. Há doze anos que eu ano nessa cidade só em campanhas para a prefeitura. Há mais de 20 anos eu ando pra outras campanhas e infelizmente nos últimos três anos eu não vi progresso na cidade nas áreas mais importantes. E eu vou falar só sobre os problemas da cidade. Não vou identificar aqui as pessoas, os outros candidatos. Eu acho que isso aí é problema deles. Agora o povo me conhece”, insistiu, para em seguida ressaltar a relação de “confiança” com o eleitorado.

Missão
“O povo de Fortaleza sabe que quando me deu a missão de combater os pistoleiros, eu combati, quando me deu a missão de combater o narcotráfico, eu combati, fui até ameaçado de morte”, disse.

Moroni ainda concluiu afirmando que: “Recebi uma missão religiosa pra fazer e eu não podia abrir mão. Larguei tudo da política e fui cumprir a missão religiosa. Agora já cumpri e agora tô pronto pra cumprir a missão com o povo de Fortaleza”, destacou.

Sem padrinho
Moroni também afirmou que não teme o “efeito Lula” para impulsionar a campanha dos adversários. “Tem muito candidato que bota um monte de padrinho nas costas, né?! Eu não tenho esses padrinhos, meu padrinho é você [em referência ao eleitor]. Porque quem tem padrinho tem que fazer a vontade do padrinho. E quando tiver um problema e padrinho disser ‘fica quieto, não reclama’ vai ter fazer isso, vai ter que ficar quieto e sem reclamar. Enquanto eu não preciso fazer isso. Eu posso reclamar  posso representar você porque você é o meu padrinho”, reforçou olhando para as câmeras de TV.

Propaganda “hollywoodiana”
O candidato negou ter algum tipo de preocupação com o pouco tempo que terá disponível na propaganda eleitoral gratuita nas cadeias de rádio e TV. O Democrata terá cerca de dois minutos e quarenta segundos de propaganda enquanto coligações de outras candidaturas garantiram até 14 minutos de propaganda eleitoral.

“O povo de Fortaleza está acostumado a ver no programa da televisão as produções de Hollywood. Que não são de Hollywwod, são de marqueteiros daqui mesmo. Mas, como eu digo, as produções de Hollywood, eu acredito, que não vão mais enganar o povo porque o povo liga a televisão, vê aquelas produções e, como eu disse, de manhã tem que abrir a porta e ver a cidade”, justificou.


Curtir: