Eleições 2012 Fortaleza

Eleições 2012: PSOL lança pré-candidatura à Prefeitura de Fortaleza

Psol aposta em Renato Roseno para disputa pela prefeitura de Fortaleza. Foto: Kézya Diniz

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) lança nesta quinta-feira (31), às 19 horas, a pré-candidatura do advogado Renato Roseno à Prefeitura de Fortaleza (PMF).  O ato vai contar com a presença de Plínio Arruda Sampaio, que foi candidato à Presidência da República, em 2010, e do cientista político e integrante da Direção Nacional do PSOL, Jorge Almeida.

Ampliar o debate
Com a participação nas eleições, o partido pretende provocar amplo debate sobre a cidade, “denunciar a lógica de desenvolvimento que privilegia grandes obras e megaeventos em detrimento da vida da população, bem como reunir aqueles e aquelas que desejam construir os próximos passos da história de Fortaleza”.

Planejamento
O Psol defende a pré-candidatura para “colocar em questão a organização do presente e o planejamento do futuro de uma cidade que perdeu 90% de sua cobertura vegetal em 35 anos”. Para tal, o partido reforça que, na última década, Fortaleza teve a frota de carros duplicada, o que tem gerado caos na mobilidade urbana e aumento da poluição.

Educação e serviço público
O partido ainda lembra que a capital cearense está em penúltimo lugar na qualidade da educação, dentre 184 municípios, de acordo com o Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará 2011; e que praticamente triplicou o número de terceirizados em comparação à gestão anterior, “enquanto os servidores municipais tiveram suas carreiras desvalorizadas”.

Desigualdades
Segundo, as lideranças do Psol, as saídas apresentadas para esses problemas estão gerando mais desigualdades sociais. “Expressão dessa atual política é o projeto de mobilidade desenhado para preparar a cidade para a Copa do Mundo, visto que é baseado na remoção de milhares de famílias. Isso tudo em uma Fortaleza que possui um déficit habitacional superior às 70 mil unidades e 46% da população desprovida de serviço de esgoto”.

Críticas
O partido ainda critica a condução do governo da prefeita Luizianne Lins. “Diferente do que ansiava a população, a cultura política não foi alterada nos últimos oito anos. O fisiologismo ainda orientação a organização de secretarias regionais e direções de escolas, bem como a relação da PMF com a Câmara dos Vereadores. Por outro lado, as decisões aprovadas nos espaços de participação popular são colocadas em risco, a exemplo do que vem ocorrendo com o Plano Diretor Participativo”.

Independência
Com sete anos de fundação, o Psol promete entrar na disputa pela prefeitura de Fortaleza seguindo o princípio da independência financeira e a aliança com setores que se contrapõem “à lógica da privatização da política e da destruição da natureza e da sociabilidade”. Desta forma, a legenda ainda defende a constituição da Frente de Esquerda com partidos, sujeitos e movimentos sociais que constroem “resistências anticapitalistas”.

“Queremos unir aqueles e aquelas que possuem disposição de educar e aprender, de auto-organizar, de mobilizar para reinventar, pois nos anima a capacidade de indignação e insurgência.”, afirma Renato Roseno.

Veja ainda:
Aparelhamento da máquina atrapalha gestão em Fortaleza, afirmam convidados do Primeiro Plano
Renato Roseno e Marcelo Mendes são os primeiros convidados do programa Primeiro Plano

Serviço: Lançamento da pré-candidatura do PSOL
Data: 31 de maio (quinta-feira)
Hora: às 19h
Local: Sede do PSOL (AV. Imperador, 1397. Centro)


Curtir: