Eleições 2012

Eleições em São Paulo: Russomanno lidera com 32%; Serra tem 20% e Haddad 17%

Eleições em São Paulo: Russomanno lidera com 32%; Serra tem 20% e Haddad 17%

O candidato do PRB Celso Russomanno oscilou negativamente três pontos percentuais, mas mantém a liderança na disputa à Prefeitura de São Paulo, com 32% das intenções de voto. Pesquisa Datafolha concluída na terça-feira (11)  mostra que essa é a primeira variação negativa do candidato desde dezembro, quando iniciou a trajetória que o levou de 16% a 35% das intenções de voto.

Na sequência
Ainda segundo o Datafolha, José Serra (PSDB) tem 20% e Fernando Haddad (PT) aparece com 17% das intenções de voto. Como a margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos, o petista e o tucano aparecem tecnicamente empatados.

Espontânea
A manifestação espontânea de voto -quando não é apresentada ao eleitor lista com nomes- em Russomanno também oscilou negativamente, de 25% para 22% em relação à pesquisa feita no início do mês. Os dados apontam ainda que passou de cinco para três pontos percentuais a distância entre José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT), que estão tecnicamente empatados em segundo lugar.

Queda
Alvo de adversários tanto na campanha de rádio e TV quanto na campanha de rua, Russomanno apresentou tendência de queda em alguns dos segmentos na pesquisa do Datafolha. A oscilação negativa de três pontos no resultado geral -no limite da margem de erro, de três pontos para mais ou para menos- se explica, por exemplo, pela indicação de redução do apoio entre os eleitores com mais de 60 anos, onde a intenção de voto no candidato do PRB caiu de 37% para 27%.

Variação
Entre os jovens, entretanto, a tendência é de crescimento, de 29% para 35%. Quando o recorte é sobre a renda, Russomanno também apresenta variação negativa entre os eleitores com ganho familiar de mais de dois salários mínimos ao mês. A intenção de voto teve tendência de queda de 42% para 35% em relação aos eleitores que ganham de 2 a 5 salários mínimos, de 30% para 25% entre os que ganham de 5 a 10 salários mínimos e de 22% a 17% entre os com renda familiar superior a 10 salários mínimos ao mês.

Com informações da Folha.com


Curtir: