Eleições 2014

Eleitos em 2010, deputados com ar de celebridade são apostas das legendas

Romário foi o deputado celebridade de maior destaque nos últimos quatro anos
Romário foi um dos deputados celebridade de maior destaque nos últimos quatro anos

Eleitos em 2010 para o primeiro mandato na Câmara, os chamados deputados celebridades tomaram gosto pela política e vão disputar novamente as eleições de 2014. O ex-BBB Jean Wyllys (PSOL-RJ), o boxista Acelino Popó (PRB-BA), o ator Stepan Nercessian (PPS-RJ), o jogador Danrlei (PSD-RS) e o palhaço Tiririca (PR-SP) tentarão se reeleger para federal.

Mais alto
O ex-atacante Romário (PSB-RJ) decidiu alçar um voo mais alto: sairá candidato ao Senado e sua pretensão maior é concorrer à prefeitura do Rio, em 2016. Na opção pela reeleição como federal, a decisão pessoal pesou, mas também a pressão partidária: por serem mais famosos e conhecidos, esses deputados obtêm mais votos e, com isso, engordam o caixa do fundo partidário da legenda, calculado com base no número de votos recebidos na eleição.

Prestígio
Romário e Jean Wyllys se destacam – Durante os quatro anos de mandato, a grande surpresa entre as celebridades foi Romário, que usou o prestígio pessoal e a fama para avanços em programas para pessoas com deficiência, fez discursos que repercutiram e chegou, até mesmo, a presidir a Comissão de Turismo e Desporto, coisa difícil entre os novatos. Em sua área, o esporte, ele optou por criar polêmicas, questionando os cartolas do futebol.

Outro que fez um mandato destacado foi Jean Wyllys (PSOL-RJ). Ele conta que já militava na política e que tornou-se conhecido depois dos três meses no programa BBB, da TV Globo, que ganhou há 10 anos. Jean Wyllys é o único deputado assumidamente gay e tem militância reconhecida nas políticas de diversidade sexual e em outras áreas de Direitos Humanos.

Destaque
O diretor de documentação do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), Antonio Augusto de Queiroz, diz que entre os cinco deputados celebridades, Romário e Jean Wyllys foram os que mais se destacaram. Mesmo assim, acrescenta, não estão na lista dos 100 cabeças do Congresso, lista elaborada pelo Diap que traça os 100 parlamentares de maior influência nas duas Casas legislativas. Para Queiroz, o fato de os cinco deputados celebridades tentarem se manter na política tem como pano de fundo o lado pessoal, mas também a pressão partidária.

Com informações de O Globo


Curtir: