Eleições 2014

Em debate, Tasso chama Mauro Filho de “garoto propaganda do PT”

Os quatro candidatos tentaram mostrar os pontos fracos dos adversários e apresentar suas propostas para o desenvolvimento do estado. Foto: Reprodução O Povo/Arlen Medina
Os quatro candidatos tentaram mostrar os pontos fracos dos adversários e apresentar suas propostas para o desenvolvimento do estado. Foto: Reprodução O Povo/Arlen Medina

A 30 dias da eleição, os quatro candidatos ao Senado partiram para o confronto no domingo (31) à noite, no debate da TV O Povo, primeiro embate direto entre os concorrentes transmitidos pela televisão na campanha deste ano.

Em um programa com apresentação e diferenciação das propostas, Geovana Cartaxo (PSB), Mauro Filho (Pros), Raquel Dias (PSTU) e Tasso Jereissati (PSDB) apontaram fragilidades dos adversários e falaram sobre temas como desenvolvimento regional, educação, reforma política e recursos hídricos.

“Garoto”
De maneira geral, o tom do encontro foi cordial mas ainda sobraram espaços para alfinetadas, como a classificação de “garoto propaganda” atribuída por Tasso ao candidato Mauro Filho.

No Centro
Com Tasso no centro dos questionamentos, o clima esquentou. Mauro Filho perguntou por que o tucano é contra a presidente Dilma. “Não sou contra ninguém, sou contra atual governo do PT, que está levando o País à bancarrota”, respondeu Tasso.

Na réplica, Mauro defendeu o que chamou de “governo dos trabalhadores”, e foi confrontado, na tréplica, com uma ironia do ex-senador. “Infelizmente os publicitários da presidente Dilma ainda não lhe viram falando, porque seria contratado para ser garoto propaganda do programa do PT”, disse.

Estreante
O tucano Tasso Jereissati – que participava ontem de seu primeiro debate desde que foi eleito governador pela primeira vez, há 28 anos – também foi confrontado pela candidata Raquel Dias, que apontou o fato de ele ter a segunda maior fortuna declarada entre os candidatos no Brasil e Indagou se sua dita “independência” na campanha não viria do fato de ele ser “chefe de si mesmo”. “Por esse patrimônio é que eu me considero mais independente ainda”, afirmou ele. Geovana Cartaxo, por sua vez, lembrou, em forma de crítica, que o ex-senador é a favor da redução da maioridade penal. “Essa é a diferença entre mim e o senhor”, disse ela.

Mauro
Em outra frente, o ex-secretário da Fazenda do governo Cid e membro da base aliada de Dilma no Ceará, Mauro Filho, teve de responder a críticas relacionadas à educação, segurança pública e exportações do Estado. “Pretendo reduzir impostos para empresas que vão receber dependentes químicos”, disse Mauro à Geovana Cartaxo.

Em resposta a Tasso – que o havia questionado sobre a “estagnação” das exportações no Ceará e sobre os tratados comerciais nacionais que privilegiariam países da América do Sul, em prejuízo ao Porto do Pecém –, Mauro afirmou que o Ceará tem a primeira Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do País e destacou ações do governo Cid para ampliar as exportações cearenses.

Debate
O debate da TV O POVO durou cerca de uma hora e meia, e foi transmitido pela rádio O POVO/CBN e pelo portal O POVO Online. Cada candidato ficou no centro da roda durante um bloco, formato que proporcionou discussão mais direta entre os participantes.

Repito
A TV O Povo conseguiu o que as demais emissoras de televisão tentam sem sucesso: tornar o debate interessante. O formato escolhido, com os candidatos no centro da roda, respondendo aos questionamentos como se estivessem em uma sabatina, inquiridos pelos demais candidatos, traz uma dinâmica que atrai o interesse do eleitor e dá uma nova cor a este tipo de programa.

Na corrida
De acordo com a última pesquisa O POVO/Datafolha, divulgada em 16 de agosto, Tasso lidera a corrida para o Senado com 53%, seguido por Mauro (18%), Raquel (5%) e Geovana (3%).

Bastidores
A briga para ver quem faria mais barulho começou antes do debate. Militantes da campanha de Tasso disputavam as atenções com outro que tocava jingles de Raquel Dias. Como os militantes da campanha tucana eram em maior número, os jingles do ex-senador prevaleceram. Tasso, aliás, foi recebido por um grupo que tocava bateria e gritos de “o galeguinho voltou”. A pressão de participar de um programa ao vivo também afetou os candidatos. Raquel, algumas vezes, ultrapassava o tempo determinado.

Com informações do O Povo


Curtir: