Hora K

Em entrevista, Cid fala sobre Ministério da Educação e polêmica com professores

O governador também revela que Camilo pediu opinião sobre montagem do secretariado
O governador também revela que Camilo pediu opinião sobre montagem do secretariado

Confirmado para comandar o Ministério da Educação, o governador Cid Gomes (Pros) falou sobre o convite feito pela presidente Dilma Rousseff em entrevista exclusiva concedida ao programa Hora K, apresentado por mim, na tarde de quarta-feira (24).

Segundo ressaltou, ao receber o convite, os prós e contras já tinham sido avaliados desde o início das especulações sobre o assunto, dois meses atrás.

Gestor 
Questionado sobre o preparo para comandar a pasta, sendo engenheiro por formação, Cid aproveitou para rebater as críticas. “Devo falar, primeiro em tese, mas não necessariamente um médico tem ser ministro da Saúde. Não necessariamente um professor tem de ser ministro da Educação. O histórico de ministro da educação há décadas não temos um professor. Mas, o que pesou para o convite foi nosso histórico e os nossos resultados na educação. Ao longo deste período (à frente do governo do Ceará), foram implantados projetos que deram resultados”, disse Cid.

“A frente do Ministério, vou tentar implantar esses resultados. É uma área de meu interesse, pois sou filho de professor e tenho irmãos professores”, concluiu.

Relação com os professores
Cid comentou seu relacionamento com professores e deu sua versão sobre polêmicas envolvendo a categoria. O futuro ministro ainda prometeu diálogo no comando do Ministério da Educação.

“Sempre com muito diálogo como sempre me comportei como governador. Sempre tive boas relações com as lideranças sindicais. Isso não quer dizer que eles fizeram o que eu quis. Respeitamos as posições de cada um”, salientou, ressaltando que algumas declarações foram tiradas do contexto, dentre elas, a que disse que os professores deviam trabalhar por amor.

Amor e Piso
Segundo explicou, ao afirmar que os professores devem escolher a profissão por “amor” o governador quis chamar atenção para a necessidade de ter vocação, “amor” para seguir a profissão. Sobre a implantação do Piso Nacional do Magistério,  Cid disse que é a favor da conquista da categoria , mas justificou que fez parte da ação proposta por governadores para impedir o acúmulo  de“penduricalhos” no salário final o que acabaria com a autonomia do Estado.

Equipe ministerial
O governador também afirmou que a prioridade na escolha de auxiliares é do governador eleito Camilo Santana (PT), pois para lhe ajudar conta com quadros renomados em nível nacional, afastando as informações de que já estaria buscando nomes para sua equipe ministerial.

Secretariado de Camilo
Cid comentou ainda não ter conhecimento sobre as indicações feitas por Camilo Santana para composição do seu secretariado. Entretanto, admitiu que o petista lhe procurou para pedir conselhos em, pelo menos, em duas ocasiões. “Acho que ele [Camilo]  não deve demorar. Ele estava esperando como ficaria a formação partidária da presidente Dilma [Rousseff], para poder se espelhar aqui”, afirmou, acrescentando que “sinceramente, não sei. Ele chegou a perguntar, mas disse para ter paciência e escolher os melhores, logo porque terá de prestar contas”.

2016
Sobre as eleições municipais de 2016, Cid afirmou que a administração do prefeito Roberto Cláudio (Pros) será o “fator  mais importante” para sua reeleição, citando algumas intervenções feitas no município de Fortaleza, como as melhorias implementadas na mobilidade urbana.

Revelação
O governador e futuro ministro da Educação revelou, ainda, que sua irmã,Lia Ferreira Gomes, está pensando em entrar para a politica, disputando as eleições de 2016 em Caucaia, município da região metropolitana de fortaleza.

Repeteco
O programa foi ao ar, ao vivo, na quarta-feira (24), mas tem direito a repeteco na sexta-feira (às 22h); no domingo (15h) e segunda (23h).


Curtir: