Nacional
Atualizado em: 20/06/2011 - 6:37 pm

Aloísio Mercadante - ministro da Ciência e Tecnologia

Em passagem por Fortaleza nesta segunda-feira (20), o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante (PT-SP), negou que tenha participado esquema conhecido como “dossiê dos aloprados”.

Denúncia
Na edição da revista “Veja” que chegou as bancas esta semana, o ministro é apontado por Expedito Veloso, ex-diretor do Banco do Brasil,  como um dos “mentores” do suposto dossiê que teria a finalidade de atingir o então candidato José Serra, na disputa pelo governo do estado de São Paulo.

Veloso, que integrou a cúpula da campanha à reeleição de Lula em 2006, teve uma conversa gravada revelada pela revista, que classificou como “desabafo”.

Caso dos Aloprados
Em 2006, um grupo de dirigentes do PT comprou, por R$ 1,7 milhão, um falso dossiê que procurava ligar o então Serra (PSDB) à máfia dos sanguessugas. Desde então, a origem do dinheiro e a identidade dos mandantes nunca foram descortas pela Polícia Federal.

Ainda de acordo com o relato publicado por Veja, além de Mercadante, outro responsável pela captação do dinheiro apreendido no hotel teria sido ex-governador de São Paulo Orestes Quércia, morto em 2010. A intenção seria provocar um segundo turno para beneficiar Mercadante, que se vencesse a disputa, daria espaço ao parceiro. Apesar do esquema, Serra venceu em primeiro turno.

Entrevista
A entrevista desta segunda-feira (20), em Fortaleza, foi a primeira após a publicação do teor da gravação telefonica. Mercadante lembrou que seu nome não foi sitado nas investigações anteriores, numa tentativa de afastar a polêmica diante desta nova denúncia.

“Nós tivemos há cinco anos atrás uma CPI, onde todas as pessoas envolvidas foram ouvidas. Nós tivemos depois uma representação no Tribunal Superior Eleitoral. Eu nunca fui citado em nenhum desses dois momentos. Nós tivemos um parecer do procurador-geral da República, dizendo que eu não tinha qualquer indício de participação nesse episódio. Depois teve uma votação unânime do Supremo, que me absolveu nesta mesma direção”, disse Mercadante que na época era senador e candidato ao governo de São Paulo.

CPI quer indiciar ‘aloprados’
Segundo o jornal “O Globo”, o líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira, afirmou que pedirá a convocação do ministro a uma das comissões da Casa para investigar o caso. Ainda durante passagem por Fortaleza, Mercadante disse que não está preocupado com a possível investigação.

“Se as pessoas quiserem voltar a investigar este assunto, eu estou totalmente de acordo. Estou disposto a participar de qualquer foro em qualquer momento, em qualquer lugar para discutir isso ou qualquer tema da vida pública”, afirmou.

Siga-nos e curta-nos:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me