Polêmica

Em nota, prefeitura diz que não financiou calendário de homossexuais e travestis em cenas religiosas

No calendário a "Santa Ceia" vira o "O último truque".

A prefeitura de Fortaleza enviou nota à coluna Polítika, por meio da Secretaria de Direitos Humanos, para informar que a publicação do translendário 2012 (calendário de homossexuais e travestis em cenas religiosas) não é de sua responsabilidade. O material, segundo disse a nota, não recebeu nenhum tipo de apoio financeiro do município.

A prefeitura afirma ainda que a marca da gestão foi utilizada “indevidamente” pela organização do calendário.

Leia mais:
Calendário de homossexuais e travestis em cenas religiosas gera polêmica na Assembleia

Polêmica
Na terça-feira (08), o deputado Fernando Hugo (PSDB) criticou no plenário da Assembleia Legislativa o suposto apoio da prefeitura de Fortaleza ao calendário anual (o Translendário 2012) que apresenta fotos de homossexuais e travestis, fazendo referência a obras sacras e de arte.

“Numa obra de Michelângelo, a Pietá, por exemplo, aparece um travesti posando sentado, desconfigurando a pintura do artista”, observou o parlamentar.

Santa Ceia
O deputado ressaltou que, na publicação, há ainda uma simulação da Santa Ceia, de Leonardo da Vinci, com homossexuais sentados à mesa. No Translendário, a “última ceia” vira o “último truque”.

E continua
O calendário continua dando o que falar. Na sessão da Assembleia Legislativa desta quarta-feira (09) a deputada Dra. Silvana (PMDB) cobrou da Prefeitura de Fortaleza, providências quanto a publicação denominada de “Translendário”, que traz fotos de travestis representando obras clássicas. “Segundo a imprensa, a Prefeitura não autorizou verba para a publicação. Com isso peço que a prefeita Luizianne retire de circulação esse calendário que fere os valores da família”, disse.

Ética
A parlamentar afirmou que o calendário “inverteu a ética” já que mistura obras de arte e temas religiosos com obscenidades. “Repudio esse Translendário que fere todos os valores éticos e morais da sociedade”, criticou.

Desrespeito?
Em aparte, o deputado Ronaldo Martins (PRB) parabenizou o pronunciamento da parlamentar. “Silvana e Fernando Hugo (PSDB) estão de parabéns por terem chamado atenção dos cidadãos para esse fato desrespeitoso. Também me posiciono contra a essas ilustrações que desrespeitam o nome de Jesus e dos apóstolos cristãos e apoio a retirada de circulação do calendário”, salientou.

Apoio sem apoio
O líder do Governo na Assembleia, deputado Antonio Carlos (PT), defendeu que o projeto não foi financiado pela prefeita. “O artista teve apoio da Prefeitura em outra atividade que ele desenvolveu e nesse calendário colocou a marca da gestão”, disse.


Curtir: