Greve
Atualizado em: 19/07/2011 - 11:01 am

Do Jangadeiro Online

Empresários e motoristas de ônibus não chegaram a um acordo em relação ao reajuste salarial da categoria, e as negociações entre ambos foi rompida. A informação foi repassada ao Jangadeiro Online pelo assessor político do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro), Valdir Alves.

Segundo ele, a reunião, que deveria ter acontecido na manhã desta segunda-feira (18) entre representantes do Sintro e do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Ceará (Sindiônibus), foi cancelada pelos empresários. O Sindiônibus, no entanto, afirma que a reunião não chegou nem a ser marcada, pois os motoristas não fizeram a proposta de um dígito, acordada na reunião da última sexta-feira (15).

Somente um dígito
No encontro, realizado na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), no Centro da Capital, os motoristas pediram aumento de cerca de 23%. Os empresários, no entanto, disseram que esse valor era “impraticável” e propuseram, ao Sintro, que apresentasse um reajuste de somente um dígito, entre 6.3% e 9.9%. Segundo Valdir Alves, o Sindicato aceitou.

Dissídio
Eles teriam até esta segunda-feira (18) para enviar a proposta. Os empresários, contudo, já na manhã da segunda, romperam as negociações, alegando que os motoristas não tinham entrado em contato até as 10h30min, para enviar a nova proposta. Por falta de acordo, o Sindiônibus informou que a decisão do reajuste salarial iria para dissídio como em 2010, ou seja, seria decidida pelo juiz. Segundo o Sindicato patronal, isso deve “evitar uma nova greve, não prejudicando a população e a economia da cidade”.

Nova paralisação
De acordo com o assessor do Sintro, o Sindicato dos trabalhadores, no entanto, não quer que a decisão vá para dissídio. Nesta terça-feira (19), a categoria deve se reunir novamente para decidir a data da próxima assembleia geral, quando será acertada uma nova paralisação dos motoristas, que, provavelmente, deve acontecer na próxima semana.

Além disso, representantes do Sintro estão distribuindo cerca de 100 mil “cartas abertas à população”, em que a categoria explica os motivos da greve. Uma coletiva de imprensa também deve ser realizada para prestar esclarecimentos. A data, no entanto, ainda não foi fechada.

Leia mais:
Motoristas e cobradores de ônibus ameaçam entrar em greve

Vandalismo
De acordo com o Sindiônibus, além das paralisações ilegais, a empresas de ônibus vêm acumulando, desde o início das negociações em 2011, 67 carros apedrejados, dois motoristas feridos e duas tentativas de incêndio a ônibus. O Sintro, por sua vez, afirma que não reconhece essas ações de vandalismo.

Segundo Valdir Alves, assessor político do Sindicato dos motoristas, a única ação feita por eles é secar os pneus dos veículos. E isso, de acordo com ele, não é desfavorável à empresa, pois “basta enchê-los novamente e, mesmo que furem, o seguro cobre o prejuízo”.

Com informações do Sintro e do Sindiônibus

Siga-nos e curta-nos:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me